Edição nº2556 14/12 Ver edições anteriores

“Não queremos a volta da quadrilha do PT ao governo”, diz Major Olimpio

Como um dos articuladores da candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da República, o deputado Major Olimpio (PSL), eleito senador de São Paulo com mais de 9 milhões de votos – o mais bem votado do Brasil – , disse hoje em São Paulo que neste segundo turno está em jogo a união do brasileiro para impedir a volta ao PT ao poder. “Não queremos um retrocesso que será a volta do PT, assumindo como uma quadrilha o governo federal. Já temos o Lula preso, que mesmo de dentro da cadeia ainda manda no PT, como faz Marcola para controlar o crime organizado de dentro da cadeia”, disse o novo senador, um dos quatro que o PSL elegeu para o novo Senado.

“A população vai dizer não a esse tipo de política, que desgraçou nosso País”, explicou Olimpio, em entrevista exclusiva à ISTOÉ. Major Olimpio atribuiu ainda sua expressiva vitória ao presidenciável Jair Bolsonaro, que na reta final o levou do quarto lugar nas pesquisas de intenção de voto para a liderança, superando inclusive o vereador Eduardo Suplicy (PT) que desejava voltar ao Senado, onde permaneceu por mais de 30 anos. Durante toda a campanha, Suplicy despontava como líder nas pesquisas, mas Olimpio o desbancou. Olimpio acabou fazendo 5 milhões de votos a mais do que o petista, revelando que a polação está cansada do PT.  “Fiz uma campanha focado em eleger Bolsonaro no primeiro turno, mas o fator Bolsonaro alavancou minha candidatura para o Senado”, disse Major Olimpio à ISTOÉ. Eis os principais trechos da entrevista:

Tópicos

Major Olímpio

Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.