Ediçao Da Semana

Nº 2743 - 19/08/22 Leia mais

Desde que o cantor  Zé Netoda dupla com Cristiano, gerou polêmica ao criticar à Lei Rouanet – acabou desencadeando uma série de investigações de shows e ainda, o cancelamento de alguns deles. Após o artista dizer que “não precisa da norma de incentivo à Cultura”, internautas passaram a analisar o valor de alguns cachês pagos com dinheiro público e a pedir a ‘Cpi do Sertanejo’.

A sigla CPI significa Comissão Parlamentar de Inquérito e busca apurar movimentações estranhas com o dinheiro público ou fora dos padrões previstos em lei. O termo “CPI do Sertanejo” seria para apurar as suspeitas de uso indevido de verbas públicas para custear o cachê de cantores do gênero musical em shows pelo País.

A IstoÉ Gente fez um levantamento e lista alguns sertanejos que são apoiadores declarados do presidente Jair Bolsonaro (PL), que também é contra a Lei Rouanet. Confira!

Amado Batista

Amigo pessoal de Bolsonaro, o cantor goiano tem inúmeros encontros, almoços e faz questão de não esconder que apoia o político em tudo.

Bruno, da dupla com Marrone

Durante uma live em julho de 2020, Bruno rasgou elogios a Bolsonaro: “Não que eu seja bolsonarista, não, falo do Bolsonaro porque ele é um cara honesto. O Brasil estava precisando de pessoas honestas, para limpar essa ‘desgramaiada’ que estava aí, tudo roubando a gente”, disse o cantor na ocasião.

Gusttavo Lima

A relação entre o artista com a família de Jair Bolsonaro é bem próxima. Em suas redes sociais, o político já defendeu Lima após ele ser atacado por fazer uma live sem respeitar as medidas restritivas contra a Covid-19, em abril do ano passado.

Henrique e Juliano

A dupla participou, ao lado de outros cantores sertanejos, em janeiro do ano passado, de um encontro com Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Na ocasião, eles levaram uma carta de apoio ao governo federal e ao presidente.

Naiara Azevedo

Em janeiro do ano passado, Naiara e cantores como Amado Batista, Sorocaba, Rick, da dupla com Renner, Netinho, entre outros, marcaram presença em um almoço promovido por Jair Bolsonaro, que teve como objetivo discutir soluções para os setores de eventos, turismo e gastronomia, que foram afetados durante a pandemia da Covid-19.

Rick, da dupla com Renner

Em janeiro do ano passado, Rick e cantores como Amado Batista, Sorocaba, Naiara Azevedo, Netinho,  entre outros. marcaram presença em um almoço promovido por Jair Bolsonaro, que teve como objetivo discutir soluções para os setores de eventos, turismo e gastronomia, que foram afetados durante a pandemia da Covid-19.

Sorocara, da dupla com Fernando

Em janeiro do ano passado, Sorocara e cantores como Amado Batista, Rick, da dupla com Renner, Naiara Azevedo, Netinho, entre outros, marcaram presença em um almoço promovido por Jair Bolsonaro, que teve como objetivo discutir soluções para os setores de eventos, turismo e gastronomia, que foram afetados durante a pandemia da Covid-19.

Sérgio Reis

Em agosto do ano passado, Sérgio Reis organizou nas redes sociais uma manifestação no dia 7 de setembro a favor do presidente Jair Bolsonaro com os caminhoneiros e agricultores em Brasília. “Vocês que estão afim de salvar o Brasil, vamos com a gente para Brasília”, disse o cantor.

Zé Neto, da dupla com Cristiano

Durante um show na cidade de Sorriso, no Mato Grosso, Zé Neto disse não depender da Lei Rouanet em referência à discursos bolsonaristas, que não concordam com a lei.

Zezé Di Camargo

Em maio do ano passado, Zezé publicou um vídeo em sua rede social afirmando ter votado em Bolsonaro e que votaria de novo, além de defender o ‘voto impresso’, algo que chegou a ser proposto pelo chefe de Estado.