Cultura

Zélia Duncan: ‘Estou em plena função’


A cantora Zélia Duncan, 52, está em turnê há quase dois anos divulgando o seu último álbum de estúdio Antes do Mundo Acabar, dedicado a uma de suas paixões e gênero que gosta de cantar, o samba. “Amo esse show, esse disco, esses músicos que reuni. As apresentações são sempre intensas, alegres e nisso a gente se agarra para continuar”, falou a cantora com exclusividade ao jornal “O Estado de S. Paulo” por e-mail.

Além dos compromissos com os shows, a cantora está terminando um projeto com o violoncelista, maestro, compositor e produtor Jaques Morelenbaum. “É um projeto com voz e cello, cantando Milton Nascimento”, revela.

Sobre entrar novamente em estúdio para gravar um novo álbum, ela diz que só no ano que vem. “Meu (disco) mais recente ainda dá muito samba!”, explica a cantora.

São 35 anos de carreira, dez álbuns de estúdio, DVDs, discos ao vivo, participações e projetos híbridos, como o que realizou em 2011, no espetáculo Tô Tatiando, cantando músicas de Luiz Tatit e onde testou seu lado atriz (Duncan fez curso de teatro na Casa das Artes de Laranjeiras no Rio). “O trabalho de atriz é Tô Tatiando, se outros vierem e eu achar que posso e devo, seguirei o chamado. Gosto de desafios, cresço com eles”, desconversa.

A artista que nasceu em Niterói e morou em Brasília, onde começou sua carreira, em 1981, fala que vive uma fase muito tranquila em relação à profissão, mas se sente constrangida e desacreditada com o que vem acontecendo na política brasileira.

“(Michel) Temer pra mim é golpe. Dilma foi eleita. Com seus muitos erros e possíveis acertos, era legítima e o que vivemos hoje é um desgoverno ladeira ainda mais abaixo. Sinto constrangimento. Vejo um ladrão indicar o outro ladrão e as pessoas passivas, como se a única missão fosse tirar a presidente daquele jeito infame. Não acredito no que acreditava.”

Se a política não enseja confiança, ela acredita no feminismo “porque é humano e urgente”, na arte “como liberdade sempre”, na luta contra o racismo e a homofobia, nos esportes “para melhorar a saúde, a autoestima e o desenvolvimento” e na educação “para melhorar a vida das crianças”.

Zélia aproveita a folia do carnaval para mostrar mais uma vez em São Paulo seu show Antes do Mundo Acabar, no Sesc Pinheiros, a partir desta sexta, 24, e sábado, 25, às 21h, e no domingo, 26, às 18h, acompanhada pelos músicos Webster Santos, Pedro Franco e Domingos Teixeira, nas cordas, e por Thiago da Serrinha e Paulinho Dias, nas repercussões.

ZÉLIA DUNCAN

Sesc Pinheiros. Rua Paes Leme, 195; 3095-9400. 6ª e sáb., 21h, e dom., 18h. R$ 12 e R$ 40,

disponíveis no site e na bilheteria

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Veja também
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio

Tópicos

show Zélia Duncan