Mundo

Zelenski diz que primeiros dias como presidente da Ucrânia foram ‘um choque’

Zelenski diz que primeiros dias como presidente da Ucrânia foram ‘um choque’

Novo presidente ucraniano Volodimir Zelensky, na feira do livro em Kiev em 23 de maio de 2019 - AFP

O novo presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, um comediante sem experiência política, disse nesta quinta-feira (23) que seus primeiros dias no cargo foram “um choque”.

“Há muito trabalho”, disse à AFP o presidente, de 41 anos, em uma entrevista durante uma visita à feira internacional do livro na capital Kiev.

Zelenski, que alcançou uma vitória esmagadora no mês passado, reiterou sua promessa de mudar o gabinete presidencial do enorme prédio da época soviética no centro da capital onde fica atualmente.

“Não gosto da atmosfera, do prédio”, afirmou o sexto presidente do país.

“Vamos pensar no que faremos com isso”, acrescentou, apontando que a mudança pode trazer várias dificuldades.

Pai de dois filhos, ele falou com a AFP enquanto comprava livros para os pequenos.

Zelenski derrotou, em abril, o então presidente Petro Poroshenko com a promessa de renovar o sistema político e libertá-lo da influência dos poderosos oligarcas.

Este novato na política, que se descreveu como “um cara ordinário chegado para romper o sistema”, assumiu a Presidência na segunda-feira e, no dia seguinte, convocou eleições legislativas adiantadas para 21 de julho.

Mas algumas de suas primeiras decisões causaram surpresas e provocaram temores de que ele esteja nas mãos do magnata Igor Kolomoiski, proprietário da emissora que exibe seus programas cômicos.

Zelenski nomeou o advogado pessoal de Kolomoiski, Andrei Bogdan, como chefe do gabinete presidencial.

Nesta quinta, Zelenski negou estar sob poder do magnata, e garantiu que os investidores estrangeiros “ligam diariamente para investir dinheiro, contanto que o presidente e o governo puderem garantir que seus direitos estejam protegidos”.

“Este é nosso ponto fraco. É a razão principal pela qual os investidores investirão, ou não”, acrescentou.