Cultura

Youtuber que agrediu cachorro em bastidores de gravação é inocentada

O E+ noticiou há um mês o caso da youtuber Brooke Houts, que agrediu seu cachorro da raça dobermann nos bastidores de uma gravação, com tapa na cabeça e cuspe, enquanto tentava fazer um vídeo ‘fofo’ com ele.

A violência repercutiu e a polícia de Los Angeles abriu uma investigação sobre o ato, que se encerrou recentemente, segundo declarações policiais obtidas pelo TMZ e divulgadas na terça-feira, 3.

As autoridades concluíram que não há evidências que incriminem Brooke, pois a interação dela com o cachorro “não chega a nível criminal” e o “vídeo não é fácil de assistir”. No entanto, o processo pode ser reaberto se novas evidências forem apresentadas.

Na época, a youtuber recebeu uma avalanche de críticas e se defendeu no Twitter. Ela disse que não havia cuspido no seu pet, não abusou do animal e que ele estava sendo treinado pela família para se comportar, porque contratar um treinador é “muito caro”.

A blogueira afirmou ainda que o dobermann havia sido atacado pouco tempo atrás por outro cachorro em um parque, o que o deixou com medo de se aproximar de outros cães. O vídeo vazado mostrou com nitidez o momento no qual Brooke agrediu o bicho, mas foi apagado do YouTube por violar as normas da plataforma.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar