Edição nº2606 06/12 Ver edições anteriores

Xiaomi volta ao Brasil com 7 smartphones e loja oficial

Crédito: André Cardozo

Mi9 chega ao Brasil por R$ 3.999 (Crédito: André Cardozo)

Em evento realizado na noite desta terça-feira em São Paulo, a chinesa Xiaomi anunciou oficialmente sua volta ao Brasil. Por meio de uma parceria com a brasileira DL, a empresa lançará  sete smartphones com uma grande variedade de preços e configurações. Segundo Luciano Barbosa, head da operação Xiaomi no Brasil, tanto a Xiaomi quanto a DL vão trabalhar com “margens mínimas” para proporcionar um preço mais competitivo a seus produtos. A empresa também vai inaugurar sua primeira loja oficial no País, em São Paulo.

Veja mais sobre os aparelhos abaixo.

Mi9

O Mi9 é o modelo mais avançado que a empresa venderá no Brasil nessa volta. O aparelho tem acabamento em metal e vidro (traseira), tela Super AMOLED de 6,3 polegadas e leitor de digitais por baixo da tela. A configuração do aparelho inclui o chip Snapdragon 855, o modelo mais avançado da Qualcomm atualmente no mercado.

O Mi 9 tem três câmeras na traseira: principal, ultrawide e telefoto. A câmera principal tem sensor Sony de 48 MP. Já a câmera ultrawide possui ângulo de visão de 117 graus. A câmera telefoto tem sensor de 12 MP e zoom óptico de 2x para fotografar objetos mais distantes.

O aparelho será vendido com preço de R$ 3.999 e concorrerá diretamente com o Galaxy S10 e com o Huawei P30 Pro, ambos lançados recentemente no país.

Redmi Note 7

Essa é a aposta da Xiaomi no segmento intermediário premium. O Redmi Note 7 tem câmera dupla com dois sensores, de 48 MP e 5 MP. O aparelho traz ainda processador Snapdragon 660, memória RAM de 4GB, tela de 6,3 polegadas e armazenamento de 64 GB. A bateria é de 4.000 mAh, um valor acima da média do mercado. O preço sugerido é de R$ R$ 1.699.

Mi 8 Lite

O Xiaomi Mi 8 Lite tem preço sugerido de R$ 2.699. O aparelho tem processador Snapdragon 660, 4 GB de RAM e armazenamento de 64 GB. A câmera traseira é dupla, com um sensor principal de 12 MP e um secundário de 5 MP. Já a câmera frontal tem 24 MP.

Redmi 7

O Redmi 7 terá preços de R$ 1.299 (32 GB) ou R$ 1.499 (64 GB). O aparelho tem tela de 5,8 polegadas com resolução HD+ (1520 x 720 pixels) e entalhe na parte frontal em forma de gota. O smartphone tem ainda processador Snapdragon 632 e memória RAM de 3 GB. A câmera principal tem 12 megapixels + 2 megapixels (auxiliar), enquanto a frontal tira selfies de 8 MP.

Redmi Go

Aparelho de entrada da linha, o Redmi Go tem este nome por usar o Android Go, versão mais enxuta do Android. O aparelho tem tela de 5,0 polegadas e resolução é HD (1280 x 720 pixels), 8 GB de armazenamento interno, 1 GB de RAM e bateria de 3.000 mAh. O aparelho será vendido com preço de R$ 699.

Além dos cinco smartphones detalhados acima, chegam também o Redmi Note 6 Pro e o Pocophone F1. Estes dois já estavam disponíveis há algumas semanas no País.

Outros produtos

O lançamento dos smartphones é apenas parte da parceria da Xiaomi com a DL. A empresa brasileira também trará para o Brasil outros produtos da Xiaomi. Vale notar que, na China, a Xiaomi produz todo tipo de produto eletrônico, incluindo pulseiras inteligentes, drones, lâmpadas, bicicletas e patinetes elétricos e até guarda-chuvas e escovas de dentes.

No Brasil, um acessório da Xiaomi que deve chegar é a MiBand 3, uma pulseira inteligente que, em sincronia com o smartphone, mede a atividade física do usuário.

Loja oficial

Juntamente com os produtos, a empresa vai inaugurar sua primeira loja oficial no Brasil. A loja será inaugurada no dia 1/6 no Shopping Ibirapuera. O site da Xiaomi, o mi.com, também ganhará uma versão para o Brasil, que deve entrar no ar na primeira semana de junho.

Tópicos

xiaomi

Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.