Em Cartaz

X-Men, a franquia das franquias

“A Fênix Negra” tenta manter viva a aventura que deu origem à atual luta dos super-heróis para conquistar o público

Crédito: Divulgação

X -Men: Fênix Negra”é o oitavo filme da franquia lançada há 19 anos pela Fox e a 12ª aventura dos personagens, contados filmes de Wolverine e Deadpool. É improvável que alguém não tenha ainda se enjoado das proezas da Irmandade de Mutantes, fornecedora de segurança ao povo e ao exército americanos. De um seriado em quadrinhos da Marvel Comics lançado em 1963 a arrasa-quarteirão, “X-Men” tem lições a dar. Como franquia pioneira de super-heróis, mostrou a longevidade de uma fórmula até hoje rentável. A trama de “A Fênix Negra” só não decepciona por ser mais inteligível que boa parte da saga. Trata da missão da paranormal Jean Grey, ou Fênix Negra, interpretada por Sophie Turner (a Sansa de “Game of Thrones”). A história transcorre nos anos 1990, quando os X-Men, liderados pelo jovem Xavier (James McAvoy, ao lado), resgatam a tripulação da nave Endeavor. Tudo parece correr bem, até o ataque de aliens chefiado por Vulk (Jessica Chastain, fadada a papéis bizarros). Cabe a Jean salvar o mundo. Ninguém sabe se a fórmula vai durar. Mas parece ter fôlego para completar 20 anos, com o filme “Os Novos Mutantes”, a ser lançado em 2020.

A irmandade mutante em bilheterias

Divulgação

$1.157.299.717
“X-Men” (2000), o primeiro filme da franquia

$ 363.070.709
“Deadpool” (2016), a maior da série
$146.408.305
“X-Men: Primeira Classe” (2011), fracasso que quase cancelou a a produção
$2.362.663.413
Bilheteria total dos 11 longas-metragens, entre franquia e aventuras paralelas, até 2018