Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

O Palmeiras vai com tudo para encarar o Cerro Porteño, nesta quarta-feira (29), e repetir a excelente primeira fase da Copa Libertadores. Como fez a melhor campanha, o Verdão tem o direito de decidir todos os mata-matas em casa. Por isso, o primeiro confronto de ida das oitavas de final será em Assunção, no Paraguai.

+ Cantor Tarik Lima e namorada morrem em acidente entre moto e carro
+ Os melhores e piores alimentos para quem tem diabetes
+ Os 5 signos mais assumidamente loucos do zodíaco
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra

Titular absoluto da posição, o goleiro Weverton comentou sobre a preparação da equipe de Abel Ferreira e, também, sobre a importância de manter as marcas positivas contra o time paraguaio.

– A preparação foi mais focada no descanso e na recuperação para quem jogou contra o Avaí. Estamos todos focados e preparados, sabemos como é jogar Libertadores e como será mais um confronto difícil – iniciou o arqueiro.

Weverton também projetou o reencontro com Arce, ídolo palmeirense e atual treinador do Cerro Porteño. O atual goleiro alviverde disse que só viu o ex-lateral-direito pela televisão, e elogiou a forma como cobrava faltas e pênaltis.

– O Arce será muito bem recebido por todos por tudo o que fez vestindo a camisa do Palmeiras. A gente sempre tem que valorizar quem tem bons serviços prestados e essa gratidão é muito importante para as pessoas que dedicaram uma parte de sua vida para fazer o melhor pelo clube – disse Weverton.

– Ele é um vencedor, vi só pela televisão, ele batia muito bem faltas e pênaltis, tinha uma batida diferenciada e será muito bem tratado e nos tratará muito bem também. Ele está fazendo um grande trabalho, classificou o Cerro por mérito e tenho certeza de que será um jogo duro. Vai ser bacana poder reencontrá-lo. Sempre será um ídolo – completou.

O ex-lateral-direito é o estrangeiro que mais entrou em campo pelo Verdão, ao lado do chileno Valdivia, com 241 jogos. Além disso, é o segundo que mais fez gols, com 57 bolas na rede.

Entre 1998 e 2002, Arce conquistou Copa do Brasil (1998), Copa Mercosul (1998); Copa Libertadores da América (1999), Torneio Rio-São Paulo (2000) e Copa dos Campeões (2000).