Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

O secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos, Bruno Westin, afirmou nesta quinta-feira, 2, que não há prazo definido para o envio da proposta legislativa que permitirá a privatização da Petrobras. O secretário disse ainda que “não há horizonte” estabelecido para o processo de desestatização ser efetivado, visto que o projeto de lei ainda será construído e precisará ser aprovado e debatido pelo Congresso Nacional.

“De forma objetiva não há horizonte para a operação, tem de ser discutido com cautela e zelo. O que vai ser discutido é proposta legal e toma o tempo do Congresso, então não tem horizonte definido”, disse Westin em coletiva após o PPI aprovar a recomendação de inclusão da estatal na carteira do órgão.

Ele ainda repetiu que os estudos de venda da Petrobras serão conduzidos por um comitê interministerial formado por integrantes dos ministérios da Economia e de Minas e Energia, ao ser questionado sobre a modelagem.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a ideia é fazer um fatiamento da empresa. Como mostrou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, mais cedo, o Ministério da Economia já está debruçado desde o ano passado sobre uma eventual privatização da Petrobras. De acordo com fontes, o plano de fatiamento é parte de estudos tocados dentro do governo para tentar aumentar a competição com o processo de privatização.