Economia

Wall Street se recupera

Wall Street fechou em alta nesta quinta-feira com um mercado que busca decifrar os riscos do Brexit e a cautela dos bancos centrais: o Dow Jones subiu 0,53% e o Nasdaq, 0,21%.

Veja também

+ Estudo de DNA revela novos segredos dos Manuscritos do Mar Morto
+ Aves mudam comportamento durante quarentena na Nova Zelândia
+ SUV cupê? Conheça a verdadeira “origem” do VW Nivus e outros modelos
+ Veja como é a esteira de R$ 44 mil que o governo pretende comprar
+ Assista: dois grandes tubarões rondam surfistas e piloto de drone evacua line up
+ VW Nivus: confira a galeria completa de fotos
+ Cadillac Escalade ESV de Tom Brady está à venda

O índice industrial Dow Jones avançou 92,93 pontos, a 17.733,10 unidades, o tecnológico Nasdaq subiu 9,98 pontos, a 4.844,92 unidades. O índice ampliado S&P 500 teve alta de 6,49 pontos (0,31%), a 2.077,99 unidades.

Os índices, que vinham caindo sistematicamente nas últimas cinco sessões, se recuperaram no final do dia, fechando em alta.

“Se está buscando um equilíbrio em um nível muito menos elevado que antes”, disse Art Hogan, da Wunderlich Securities. Ele afirma que a recuperação desta quinta-feira foi técnica e ressalta que a alta não significa que o humor dos investidores melhorou.

Há uma semana, Wall Street, que vinha subindo sistematicamente, sofreu como outras praças um movimento de aversão ao risco com a proximidade referendo da próxima quinta-feira em que o Reino Unido decidirá se deixará a UE (Brexit).

“Os investidores precisam de certezas (…) e lamentavelmente também os bancos centrais, especialmente o Federal Reserve (Fed)”, disse Jack Ablin, da BMO Private Bank.

O mercado de títulos teve um dia hesitante. Às 20H20 GMT (17H30 horário de Brasília), o rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos ficou em 1,576% como na quarta-feira, enquanto o rendimento a 30 anos caiu de 2,410% para 2,397%.

bur-jdy/jld/gm/cd/cc