Especial 40 anos

A vitória de Donald Trump

Com um discurso xenófobo, protecionista e ameaçador, o magnata americano se elegeu presidente da maior potência mundial

A vitória de Donald Trump

TRANSIÇÃO - Trump e Obama na Casa Branca: presidente eleito diverge em tudo de seu antecessor


Mundo/EUA 2016

Contrariando as expectativas da maioria dos analistas e tornando real um cenário que parecia saído de uma piada de mau gosto, Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos no dia 9 de novembro. Candidato pelo Partido Republicano, o empresário perdeu por uma pequena margem da democrata Hilary Clinteon no total de votos diretos, mas foi alçado à Casa Branca graças ao sistema de delegados em vigor no País. Para muitos americanos indignados com as consequências da globalização e a piora em seu padrão de vida, a escolha de alguém de fora do sistema político pode ter parecido a solução mágica para a solução de todos os problemas. Mas, para os imigrantes que ajudam a fazer dos Estados Unidos a poderosa potência que é, as dificuldades estão apenas começando. “As ideias de Trump sobre imigração são ignorantes, irrealistas e racistas”, diz o ilustrador ucraniano Michael Blank, 37 anos.

Surpresa e temor

No começo da campanha, quase ninguém acreditava que o empresário sequer fosse escolhido pelo Partido Republicano para disputar o pleito. Durante a campanha, mais de uma vez ele próprio deu a entender que não havia esperança de vitória. Mas as urnas pregaram uma surpresa. Numa de suas primeiras falas, o candidato declarou que latinos eram criminosos e estupradores. Sua principal plataforma foi a construção de um muro separando os Estados Unidos do México. Ele chegou a afirmar que catalogaria a população muçulmana e expulsaria 11 milhões de imigrantes. A verdade é que ninguém sabe, ainda, se tirará as promessas do papel.

Para o resto do mundo, fica a dúvida sobre o que a eleição representa. Grupos nacionalistas em vários países comemoraram o resultado e a extrema direita se fortaleceu. Na França, a radical nacionalista Marine Le Pen é favorita para o pleito presidencial do ano que vem. Na Alemanha, o partido de extrema direita AFD cresce consistentemente nas pesquisas de opinião desde 2015. Até no Brasil, o empresário Roberto Justus se inspirou em Trump para anunciar que vai concorrer à presidência em 2018.

Para os imigrantes, resta o medo. Blank, que vive em Nova York desde 1990, resume: “A solução de Trump é equivalente a um cirurgião não qualificado fazer uma operação arrancando a faca para fora da ferida”.

“As ideias de Trump sobre a imigração são ignorantes, irrealistas e racistas” Michael Blank, 37 anos, imigrante ucraniano
“As ideias de Trump sobre a imigração são ignorantes, irrealistas e racistas” Michael Blank, 37 anos, imigrante ucraniano


+ Mãe conta à polícia que ateou fogo e matou bebê por ‘vergonha’ de ter a gravidez descoberta
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Youtuber é perseguido por jacaré de três metros: veja vídeo



Veja também

+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS