Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Apesar do empate entre Corinthians e Boca Juniors em 0 a 0, pela partida de ida das oitavas de final da Libertadores, o resultado consolidou um recorde para o técnico Vítor Pereira. Com 15 jogos de invencibilidade na Neo Química Arena, português superou a marca de Tite e passou a ser o treinador com a maior sequência de invencibilidade, em casa, em seu início de trabalho no clube.

Vítor Pereira assumiu o comando da equipe após a saída de Sylvinho, muito questionado pela torcida. Em sua estreia na Arena, o Corinthians derrotou a Ponte Preta pelo Campeonato Paulista, em uma goleada por 5 a 0. Desde então, o técnico ainda não sabe o que é perder como mandante, independente da competição.

Nesses 15 jogos, o Corinthians disputou três clássicos, contra Santos e São Paulo, e duas partidas contra o Boca Juniors, pela Libertadores. Ao todo, foram nove vitórias e seis empates, com 73,3% de aproveitamento, 25 gols marcados e apenas quatro sofridos, números que ajudam a explicar o sucesso da equipe e a marca alcançada.

Em comparação, Tite iniciou sua segunda passagem no Corinthians, já com a Arena construída, com uma vitória de 3 a 0 sobre o Marília, em 1º de fevereiro de 2015. Assim como Vítor Pereira, disputou clássicos com os outros três grandes do estado, mas sofreu duas eliminações em seu início, diante do Palmeiras, pelo Campeonato Paulista nos pênaltis, e para o Guaraní-PAR, pela Libertadores. Nesta derrota, foi encerrada sua sequência de invencibilidade de 14 partidas.

O aproveitamento é superior ao de Vítor Pereira nos primeiros 15 jogos. Com 10 vitórias, quatro empates e uma derrota, o atual treinador da seleção brasileira atingiu 75,5% de aproveitamento em seus primeiros jogos em casa pelo Corinthians. Foram 30 gols marcados e oito sofridos.

Vale ressaltar que este levantamento leva o período em que Vítor Pereira treina o Corinthians. Em duas ocasiões, durante essa sequência de 15 jogos, o treinador não pode estar à beira do gramado, mas participou dos treinamentos da equipe: contra o Boca Juniors, pela fase de grupos da Libertadores, foi afastado por testar positivo para a covid-19, e contra o Always Ready, cumprindo suspensão automática após ser expulso em La Bombonera, também contra o Boca.

A marca de Vítor Pereira no Corinthians é ainda mais impressionante quando se considera o desfalque do elenco durante o período. Sem Renato Augusto, Fagner, Willian, Paulinho, Maycon, entre outros, o treinador dependeu das categorias da base para conquistar os resultados. Os “míudos”, como chama os jogadores, carinhosamente, deram conta do recado.

Para os próximos jogos, contra Fluminense e Boca Juniors, o técnico admite ainda não ter uma escalação definida. “Não faço ideia (sobre a escalação). Estou como vocês (imprensa), não faço ideia. Estão vários entregues ao departamento médico. Tenho esperança que alguma luz surja, vamos ver”, afirmou Vítor Pereira após o empate em 0 a 0 na última terça-feira.