Esportes

Vitor Pereira explica por que Guedes não jogou clássico: ‘Dificuldade de responder no treino’

Treinador do Corinthians fez duras cobranças ao atacante, que ficou o Majestoso inteiro no banco de reservas; português ainda elogiou muito a atuação de Mantuan

Vitor Pereira explica por que Guedes não jogou clássico: ‘Dificuldade de responder no treino’

Após o empate com o São Paulo na tarde deste domingo (22), na Neo Química Arena, o técnico do Corinthians, Vítor Pereira, explicou o motivo de não ter colocado o atacante Róger Guedes em campo mesmo quando o time estava atrás no placar. O português afirmou que o camisa 9 não tem correspondido nos treinos e, por isso, está sendo pouco aproveitado.


– Eu não tenho problema pessoal com nenhum jogador. Já disse que estou aqui para ajudá-los e que todos melhorem, mas eu tenho que montar o time baseado naquilo que me mostram no treino e no jogo. O Róger passou por um momento muito bom e hoje está com dificuldades de responder no treino. Eu queria que ele me transmitisse a confiança de que posso contar com ele, mas não sinto isso e nem nos treinos e jogos há uma indicação de melhora. Tenho que tomar as minhas decisões com base no que ele está fazendo agora e não com o que ele já fez.

O treinador afirmou que a posição que Guedes ocupa no campo tem impacto direto no coletivo. Vitor Pereira comentou sobre o jogador, que também não teve oportunidade contra o Boca, ter preferência em atuar em determinado setor e deu um exemplo pessoal:

– Eu também queria treinar o Liverpool. Ia correndo direto para a Inglaterra, com todo respeito que tenho ao Corinthians, mas o Liverpool é o Liverpool. Aqui não é o que nós queremos, na minha filosofia de jogo é o que a equipe precisa. Às vezes, do Róger pela esquerda, outras vezes pelo meio e outras pela direita e ele tem que ter a capacidade de responder às situações, com compromisso defensivo para não desequilibrar a equipe. Futebol não dá para jogar com jogador sem compromisso e preciso de uma resposta mais forte.

Muito comentado após o clássico, Mantuan teve a atuação elogiada pelo português, que se disse admirado pelo jogador conseguir atacar e defender com tanta eficiência e velocidade.

Ainda bem que eu não tirei o Mantuan, pois o jogo que ele fez no segundo tempo me deixou admirado na capacidade dele em aparecer no ataque e depois recompor na defesa. Por isso, ainda bem que fui iluminado e apostei no Mantuan na etapa final, porque para mim ele atuou em um nível muito alto.