Esportes

Vítimas de Nassar criticam escolha de nova chefe da ginástica americana

As vítimas de Larry Nassar, ex-médico da equipe de ginástica dos Estados Unidos condenado por abuso sexual, criticaram nesta quinta-feira a promoção de Mary Lee Tracy ao cargo de coordenadora de elite da USA Gymnastics.

“A USA Gymnastics nomeou alguém que, no meu ponto de vista, apoiou Nassar, criticou as vítimas e não mostrou o desejo de aprender do passado”, lamentou no Twitter a ex-ginasta Aly Raisman, abusada sexualmente pelo ex-médico como outras centenas de atletas.

“Este é mais um tapa na cara que dão nos sobreviventes e uma nova confirmação de que nada mudou na Federação Americana desse esporte”, continuou a bicampeã olímpica.

Rachael Denhollander, primeira ginasta a denunciar Nassar, também criticou a escolha: “Depois de tudo que foi dito, ela (Tracy) o apoiou e disse que ele (Nassar) era ‘extraordinário'”.

Tracy apoiou publicamente a Nassar em 2016: “Todos meus ginastas nos Jogos Olímpicos trabalharam com ele. Ele os protegeu, cuidou, trabalhou com eles e seus pais, foi extraordinário”, havia dito a nova coordenadora.

Nassar está envolvido em um dos maiores escândalos da história do esporte americano.

No início do ano, foi condenado a até 125 anos de prisão por abusar de pelo menos 265 vítimas, incluindo cerca de 160 ginastas, em sua maioria menores de idade.

jr/mca/am

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel