Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais


Este é o momento em que os drones ucranianos Bayraktar supostamente destroem dois navios russos no Mar Negro.

+ Monstros marinhos: relatos podiam ser casos de ereções de baleias
+ Pausa nas redes sociais melhora a saúde mental, indica estudo
+ Jeep ultrapassa a VW em vendas; veja como ficou o ranking em abril

Os ataques teriam ocorrido perto da Ilha Snake, também conhecida como Ilha Zmiinyi, localizada no Mar Negro, perto do Delta do Danúbio, nas primeiras horas de 2 de maio.

O Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Ucrânia (AFU) disse em um comunicado: ‘Dois barcos Raptor russos foram destruídos ao amanhecer de hoje perto da Ilha da Cobra.’

O general ucraniano Valerii Zaluzhnyi, 48, disse que os ataques foram realizados por um veículo aéreo de combate não tripulado Bayraktar TB2 e foram um sucesso.

O comandante-em-chefe da AFU disse que os Bayraktars estão “funcionando bem” após a destruição dos dois navios russos.

Os militares ucranianos acrescentaram: ‘Juntos para a vitória!’

Na filmagem, um barco é visto aparentemente parado no mar antes de ser atingido e, em seguida, outro navio que de repente tenta se afastar também é destruído no Mar Negro.

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro no que o Kremlin chamou de “operação militar especial”.

De 24 de fevereiro a 29 de abril, as perdas totais em combate das tropas russas são de cerca de 23.800 pessoas, segundo o Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Ucrânia.

Os militares ucranianos também afirmam que a Rússia perdeu 1.048 tanques de batalha, 2.519 veículos blindados de combate, 459 sistemas de artilharia, 152 sistemas MLR, 80 sistemas antiaéreos, 194 aviões de guerra, 155 helicópteros, 1.824 veículos, 8 embarcações, 76 caminhões-tanque de combustível, 271 UAVs de nível operacional-tático, 38 unidades de equipamentos especiais e quatro sistemas SRBM móveis.

O Reino Unido também divulgou dados alegando que eles acreditam que mais de um quarto das forças de combate terrestre comprometidas com a guerra na Ucrânia provavelmente foram “ineficientes no combate” por causa de suas perdas.

A notícia chega quando o presidente Putin concordou “em princípio” com a evacuação de civis da siderúrgica Azovstal em Mariupol por representantes das Nações Unidas e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. O líder russo fez a concessão ao secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, durante uma reunião em Moscou.

Na última atualização, foi revelado que 100 civis já evacuados das siderúrgicas sitiadas deveriam chegar em breve à cidade de Zaporizhzhia, controlada pela Ucrânia.

Em outra parte dos combates, o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que um ataque com mísseis destruiu um hangar e a pista de um aeroporto militar perto da cidade costeira de Odesa. Eles alegaram que o hangar continha armas e munições fornecidas pelo Ocidente.

Os combates também se intensificaram na região de Kharkiv, na Ucrânia, onde o governador regional, Oleh Synehubov, disse que as pessoas no norte e leste da cidade de mesmo nome deveriam permanecer em abrigos por causa do pesado bombardeio russo.

E o governador da região de Luhansk, Serhiy Gaidai, exortou as pessoas em sua cidade a saírem enquanto ainda podem.