Geral

Vídeo: Paciente reclama de demora, e médico desabafa: ‘Estamos ferrados’

Crédito: Reprodução

Na quinta-feira (20), o médico Luiz Vagner Golembiouski se irritou e resolveu desabafar após um paciente ofender os profissionais da recepção e técnicos de enfermagem por causa da demora no atendimento. O caso ocorreu em uma unidade de saúde referência em atendimento para a Covid-19, em Alta Floresta (MT). As informações são do G1.

O vídeo, divulgado pelo Mato Grosso Ao Vivo, registrou o momento em que o médico desabafou com os pacientes que aguardavam atendimento na área externa da unidade de saúde.


“Por favor, tenham um pouco de paciência que nós também estamos ferrados ali dentro. Ninguém pediu para aglomerar, pelo amor de Deus. Agora vocês têm que ter paciência para esperar aqui fora, pois a gente já não sabe o que fazer”, disse o médico.

Na sequência, ele afirmou que todos os profissionais da saúde estão sobrecarregados e tentando ao máximo atender a alta demanda de pacientes.

“Se vocês não colaborarem e pararem de ficar ligando para vereador, prefeito, ‘pros quintos dos infernos’, a gente não vai conseguir dar o atendimento. Quero pedir para que todo mundo entenda que vai demorar o atendimento. Alguém quer perguntar alguma coisa? Alguém quer sugerir alguma coisa? Precisa de mais alguma coisa?”, questionou.

Em entrevista ao G1, Luiz Vagner afirmou que, por causa da alta demanda, a forma de atendimento na unidade de saúde precisou ser alterada.

“Antes, era feita a triagem, a consulta com o médico e depois era encaminhado para o exame, mas isso acumulava pacientes no corredor. Agora, o paciente passa pela triagem, realiza o exame e só depois passa pelo médico já com o resultado.”

Ele explicou que os atendimentos são realizados por ordem de chegada. No entanto, os pacientes que apresentam estado grave de saúde têm prioridade.

Segundo o médico, o número de pessoas que buscam atendimento médico aumentou consideravelmente após as festas de fim de ano.

“Está todo mundo trabalhando dobrado para tentar atender a demanda, tentar atender todos com o mínimo de qualidade, então não adianta as pessoas chegarem aqui gritando, porque todos vão ter que esperar, ninguém é melhor que ninguém”, concluiu.