O Dia

Vídeo: Jovem acusa ter sofrido agressão e homofobia dentro de rede de fast food

Rapaz conta que confusão começou ao discordar de mulher que reclamava de atendimento da loja em Campo Grande e um homem se envolveu na confusão. 'Me puxou, apertou meu pescoço todo', relata a vítima

Rio – Um jovem de 26 anos, foi agredido e expulso de uma unidade do Habib’s na Estrada das Capoeiras, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, após ter respondido a ofensas homofóbicas de uma cliente no local. Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, Marcos Junior, aparece sendo retirado a força por um outro frequentador. 
Segundo Marcos, ele esperava ser atendido quando uma pequena discussão começou na fila do caixa. Uma mulher, que se desentendeu com a atendente, não teria aceitado ser questionada e começou um breve tumulto: “Ela queria uma promoção que não era válida pra loja, só para entregas. Quando a atendente disse isso, ela virou pra mim e falou que aquilo era um absurdo, eu respondi que ela estava errada”, conta.
O jovem explica que as agressões começaram por parte de outro cliente, depois que a discussão continuou na fila do caixa: “Quando eu disse que ela estava errada, ela respondeu que era por isso que não gostava de viado, eu falei que eu não ia deixar de ser viado e ela não ia deixar de estar errada. Ai um cara levantou, disse que era pra eu respeitar as pessoas, que eu estava gritando que era viado”, conta.

A ocorrência foi registrada na 34ª DP (Bangu) no dia seguinte ao ocorrido, e as imagens da agressão foram gravadas por uma amiga da vítima. O rapaz explica que ele chegou a responder ao homem antes de ser retirado da unidade: “Eu disse que a mulher não estava me respeitando e que eu era viado mesmo. Foi quando ele me puxou, apertou meu pescoço todo. Eu fiquei sem ação, ele tentou me colocar pra fora, deu um chute na minha cara”, relatou.
Em nota, o Habib’s lamentou o ocorrido e destacou que a política interna da empresa “visa garantir que todos os clientes sejam tratados da melhor forma possível em nossos restaurantes, respeitando a diversidade e proporcionando um ambiente democrático a todos”. O restaurante também afirmou que irá colaborar com as autoridades no curso das investigações.
*Estagiária sob supervisão de Adriano Araujo