Geral

Vídeo: Coletor de lixo faz brincadeira durante trabalho, imagens viralizam e ele é demitido

Crédito: Reprodução

O coletor de lixo, identificado apenas como Vitor, fez uma brincadeira durante o seu expediente. A sua ação foi gravada e publicada no TikTok, plataforma em que o vídeo viralizou. Por conta disso, ele foi detido do Grupo Corpus, em Botucatu (SP), onde trabalhava havia dez meses. As informações são do UOL.

O vídeo foi publicado em abril e nele Vitor aparece segurando um cano de papelão, olhando para os lados enquanto alertava os colegas que buscavam as sacolas de lixo em uma calçada.

Vitor ressaltou que não se lembra do dia exato em que o vídeo foi gravado e não se recorda de ter sido filmado.

“Eu estava brincando de escoltar o caminhão, como se fosse um carro forte, como se as sacolas fossem dinheiro. Era uma brincadeira apenas. Eu recebi um comunicado de suspensão no dia 22 e, na sequência, fui mandado embora”, disse ele em entrevista ao UOL.

“A minha mulher falou que aquele homem no vídeo era o marido dela e a autora disse que era para me contar que o vídeo já tinha mais de 500 mil visualizações. A moça filmou porque achou legal que estávamos brincando. Ela não queria prejudicar. É um serviço duro, difícil, mas a gente sempre mantém o bom humor”, completou.

Vitor ressaltou que é pai de um bebê de quatro meses, três meninas de 3, 8 e 9 anos e um adolescente de 14. Ele afirmou que, antes de trabalhar como coletor, atuou como chapeiro na montagem de lanches.

“Foi o meu primeiro serviço trabalhando com coleta. Era um desejo muito grande trabalhar com isso.”

Ele contou que não esperava que a brincadeira pudesse causar a sua demissão. “A gente sempre trabalha brincando, rindo, se divertindo. Sempre tem uma dança, a gente sempre tá feliz, alegre. De repente, veio uma primeira advertência e logo depois a demissão. Essa foi a primeira advertência que eu tive nos meus dez meses trabalhando na empresa.”

O Grupo Corpus enviou uma nota ao UOL na qual afirmou que Vitor não faz mais parte do quadro de funcionários “por descumprimento das instruções de trabalho”.

“Ao não agir de acordo com as regras de segurança laboral, ele colocou em risco a sua integridade física e a dos demais coletores. As imagens, feitas durante o expediente, simulam uma prática de crime e atividade ilegal da qual a empresa não compactua e rejeita veementemente”, finalizou o comunicado.