Mundo

Verdes aprovam programa de governo com Olaf Scholz na Alemanha


BERLIM, 6 DEZ (ANSA) – Os filiados da sigla Os Verdes aprovaram, com 86% dos votos, o novo programa de governo alemão e a coalizão com o Partido Social-Democrata (SPD) e o Partido Democrático-Liberal (FDP) nesta segunda-feira (6). Com isso, foi superada a última etapa do processo interno formal para a parceria.   

A votação desta segunda ratifica o acordo firmado no dia 24 de novembro entre os líderes das três siglas, que dará a Olaf Scholz a missão de comandar a Alemanha e suceder Angela Merkel após 16 anos.   

Entre os principais pontos do programa, além da divisão dos cargos, está um acordo para o aumento do salário mínimo de 9,60 para 12 euros a hora, a legalização da maconha para adultos e que 80% da energia do país seja produzida por fontes renováveis.   

A decisão ocorre poucas horas depois de Scholz anunciar os nomes dos ministros do SPD que formarão o governo nas pastas de Saúde, Defesa, Interior, Trabalho, Construção e Colaboração para Desenvolvimento.   

A posse do social-democrata está marcada para a próxima quarta-feira (8) e, além dos políticos do SPD, já sabe-se que os dois líderes dos Verdes, Annalena Baerbock e Robert Habeck assumirão, respectivamente, as pastas de Relações Exteriores e o “superministério” da Economia, Energia e Clima. Já o presidente do FDP, Christian Lindner, será o ministro das Finanças. (ANSA).   


Saiba mais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua