Cultura

Vento Festival de Música de Ilhabela promove nova safra da MPB

Com uma segunda edição bem maior do que a do ano passado, o Vento Festival de Música de Ilhabela, realizado no Litoral Norte de São Paulo, começa nesta quinta-feira, 9. No palco da Praia do Perequê, nomes como Karina Buhr, Johnny Hokker, Russo Passapusso, Bruno Morais, Jaloo, Liniker, Mahmundi e Rico Dalasam. O intuito do evento é mostrar uma nova safra da MPB. Um conjunto de artistas emergentes, mas já consolidados na cena underground do País. A entrada é gratuita.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Idealizado por Anna Penteado, o Vento levará ao local música e diversidade. Um ciclo de palestras promoverá debates sobre arte, sustentabilidade, cultura, economia criativa, coletividade e tolerância. Chamadas de “ideias para o futuro presente”, participarão das atividades o economista Oswaldo de Oliveira (Laboriosa 89), o ativista político Caio Trendolini e Rodrigo Guima (Aqui Bate um Coração e Ben & Jerry’s).

Na quinta, 9, e sexta, 10, as atrações começam no início da noite. Já no sábado, 11, a programação também ocorrerá durante a tarde. Nas Oca Makers, estruturas de domo montadas a alguns metros do palco, também haverá DJ sets, capitaneados pela crew da Free Beats. Mauro Farina aka Mission Sabotage, Beat Flavour e Tahira vão comandar as picapes durante os quatro dias.

Para matar a fome, o público terá acesso a food trucks locais, que venderão comida.

Histórico

Em 2015, o alto fluxo de turistas congestionou a chegada e a fila da balsa causou atraso na programação, que contou com as performances de nomes como Céu, Tulipa Ruiz, Lira, O Terno, Guizado, Saulo Duarte e a Unidade. Ainda no ano passado, a revelação foi a cantora Norma Nascimento, que, com rimas fáceis, letras doces e a mescla entre a poesia de Cartola e a malandragem de Noel Rosa, conquistou o público que marcou presença em Ilhabela. O Vento se consolida como festival de suma importância para os artistas da nova safra.

O destaque deste ano promete ser Mahmundi, que abre o festival. A cantora e compositora carioca, na praça desde o início do mês com o homônimo Mahmundi (Stereomono/Skol Music), o seu álbum de estreia, se apresenta na abertura do evento, no dia 9 de junho, quinta-feira, às 21 horas.

O projeto Salada das Frutas, formado por Liniker, Rico Dalasam e As Bahias e a Cozinha Mineira, também promete uma apresentação enérgica e politizada. A banda O Grande Grupo Viajante, que faz uma mistura de ritmos bastante interessante, toca às 16 horas no domingo, 12, e, ao lado de Bruno Morais, encerra o evento.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea