Geral

Velório tem confusão após prefeitura tentar lacrar caixão de idoso morto com suspeita de coronavírus

Crédito: Arquivo pessoal

O velório José Ferreira, de 82 anos, terminou em tumulto na cidade de Iperó, no interior de São Paulo, nesta quinta-feira (2). O aposentado morreu na quarta-feira (1º) com suspeita de coronavírus. A prefeitura orientou para que o caixão da vítima fosse lacrado, no entanto, os familiares abriram o caixão. As informações são do G1.

No atestado de óbito do idoso a Covid-19 não foi listada como causa provável da morte. Por isso, apesar da recomendação do secretário de Saúde do município, Eli Teles, para que o velório fosse realizado com caixão fechado, a família abriu o caixão por conta própria, o que gerou tumulto.


O documento foi feito por um integrante da equipe médica do Hospital São Luiz, hospital de Boituva (SP), onde o aposentado estava internado. As causas prováveis da morte que aparecem no atestado são insuficiência respiratória a apurar com exame Swab/Orofaringe e doença de Parkinson.

Ainda de acordo com o G1, apesar do Hospital São Luis não atestar morte suspeita por Covid-19, o idoso havia sido testado para a doença e o teste segue com resultado pendente no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. A previsão é de que o laudo saia ainda nesta sexta-feira (3).

Em nota, a Prefeitura de Iperó informou que embora a família tenha desobedecido as recomendações de segurança durante o velório, o recinto foi totalmente higienizado para a realização de outro velório que foi realizado na sequência.

A Secretaria de Saúde também informou ao G1 que com base no resultado do exame feito no idoso, poderá requerer a quarentena para todas as pessoas que passaram pelo velório e tiveram contato com o corpo.