Velhos caciques com nova roupagem: 13 partidos já trocaram de nome

Decisão de legendas segue jogada de marketing para limpar a imagem de alguns citados na Lava Jato

Velhos caciques com nova roupagem: 13 partidos já trocaram de nome

Convenção nacional do novo partido, União Brasil, em Brasília


A Operação Lava Jato não teve efeito judicial num Brasil tão contraditório – onde se rouba com provas e ninguém fica preso ou condenado –, todavia um efeito de curto prazo aconteceu na imagem de partidos (uns desfilaram nas celas, outros não). Pelo menos 11 legendas trocaram de nome nos últimos anos, e outras duas estão em tratativas.

O PTN virou o Podemos e o PTC, Agir 36; Avante já foi PTdoB; o PEN passou a ser chamado de Patriota. O famoso PMDB voltou a ser MDB. Caso do PL, ex-Partido da República. O PP e PRB se alongaram em Progressistas e Republicanos, mais bonito de pronunciar; PSDC, de Eymael, virou apenas DC.

PPS tornou-se Cidadania; Brasil 35 é o novo Partido da Mulher Brasileira – que, curiosamente, já teve apenas um deputado na Câmara. O DEM e PSL se fundiram, criando o União Brasil, o maior partido em número de congressistas. E o nanico PRTB, em autofagia, tem tratativas para virar Aliança 28.


Saiba mais
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua


Sobre o autor

Leandro Mazzini começou a carreira jornalística em 1996. É graduado em Comunicação Social pela FACHA, do Rio de Janeiro, e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. A partir de 2000, passou por ‘Jornal do Brasil’, ‘Agência Rio de Notícias’, ‘Correio do Brasil’, ‘Gazeta Mercantil’ e outros veículos. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011, e também foi colunista da Gazeta. Entre 2009 e 2014 apresentou os programas ‘Frente a Frente’ e ‘Tribuna Independente’ (ao vivo) na REDEVIDA de Televisão, em rede, foi comentarista político do telejornal da Vida, na mesma emissora e foi comentarista da Rede Mais/Record TV em MG. Em 2011, lançou a ‘Coluna Esplanada’, reproduzida hoje em mais de 50 jornais de 25 capitais e interior Foi colunista dos portais ‘UOL’ e ‘iG’ desde então, e agora escreve no blog que leva seu sobrenome no portal da ‘Revista Isto É’, onde conta com o trabalho dos jornalistas Walmor Parente, Carolina Freitas, Elizabeth Paiva e Sara Moreira, além de correspondentes no Rio e Recife. É também comentarista das rádios ‘JK FM’ em Brasília, ‘Super TUPI’, do Rio, e ‘Rádio Muriaé’.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.