Saúde da mulher

Veja como os ‘sex toys’ ajudam a tirar a dor do caminho do seu prazer

Crédito: Pexels

As dores no sexo podem ter diversas causas e são surpreendentemente frequentes: um estudo do Diário de Medicina Sexual dos Estados Unidos mostrou que 30% das mulheres pesquisadas relataram sentir dores na relação sexual. Embora sejam relativamente comuns, estas dores não devem ser normalizadas, e os sex toys (brinquedos sexuais) podem ajudar. Entenda com informações do “Healthline”. 

+ 8 dicas de masturbação aprovadas por especialistas para garantir orgasmos intensos


+ Polêmica: Amazon considera produtos para a saúde da mulher como ‘sex toys’

Dentre as possíveis causas de dores no sexo estão: 

• Secura vaginal ou baixa lubrificação natural;

• Vaginismo;

• Endometriose;

• Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) não tratadas;

• Doença inflamatória pélvica (DIP);

• Vulvodínia;

• Vergonha pessoal;

• Outras infecções vaginais. 

Alguns destes problemas são tratáveis com medicamentos e/ou pomadas e acompanhamento médico constante. No entanto, para superar os casos de vergonha pessoal (que pode levar ao vaginismo e à vulvodínia) e secura vaginal — ambos possivelmente causados pela falta de excitação sexual ou por consequência dela — os sex toys podem ser poderosos aliados. 

Estímulos e excitação

As dores no sexo podem ser causadas pela falta de lubrificação natural ocasionada pela excitação sexual. Isso significa que sua vontade e sua lubrificação são as chaves para uma penetração prazerosa. No entanto, você pode utilizar lubrificantes à base de água para complementar seus fluidos naturais. O produto atua como um “amortecedor”, ajudando na dor causada pela fricção.

Além disso, focar apenas na penetração é um erro comum que muitos casais cometem, e pode ser um dos motivos das dores. Para muitas mulheres é difícil chegar ao orgasmo apenas com penetração, e o clitóris é a chave. O clitóris é o único órgão cuja finalidade é exclusivamente o prazer, e você deve se aproveitar disso.

Em seu livro “As mulheres primeiro”, o psicoterapeuta e conselheiro sexual Ian Kerner explica que todo orgasmo é baseado na rede clitoriana. O clitóris vai muito além da pequena protuberância vista do lado de fora da vulva: ele possui raízes profundas abaixo da superfície, podendo atingir até 12 centímetros em algumas mulheres. A maioria dos orgasmos em mulheres é baseada no clitóris, até mesmo orgasmos do ponto G.

Clitóris + brinquedos sexuais

Pexels

Para estimular o clitóris e garantir mais prazer, sex toys desenvolvidos para o prazer feminino — como estimuladores clitorianos e de ponto G e vibradores de casal — podem entrar em cena. 

“Os brinquedos nos ajudam a navegar por nossas zonas erógenas com mais facilidade”, observa Sherry Ross, especialista em obstetrícia e saúde feminina. “Eles também podem ajudar a promover o fluxo sanguíneo para o clitóris e suas oito mil terminações nervosas”. Com a ajuda de sex toys, você também pode conhecer melhor seu corpo e saber o que te excita, facilitando a comunicação com seu(ua) parceiro(a) sexual.

Superando a vergonha para tornar o sexo melhor

A vergonha acontece quando você se vê como um problema ou um erro. Esse sentimento doloroso é internalizado e pode fazer com que mulheres se sintam inferiores e insuficientes. 

Esse mesmo sentimento de que existe “algo errado”, muitas vezes, é dirigido aos sex toys: “Algumas mulheres podem sentir vergonha de brinquedos sexuais porque os veem como se fossem um recurso necessário para ajudá-las a sentir o prazer que ‘deveriam sentir sozinhas’”, explica a sexóloga clínica Kristie Overstreet. O que acontece é que o sentimento de insuficiência se intensifica frente à necessidade de artifícios externos para o prazer.

Para abraçar sua sexualidade, aliviar a vergonha e ter relações mais prazerosas, enxergue os brinquedos sexuais como um acréscimo positivo à sua vida sexual, e não como uma “muleta”. Sex toys podem ajudá-la a se conhecer melhor, ter mais orgasmos e se sentir satisfeita.

No entanto, tenha em mente: se mesmo após incorporar os brinquedos à sua rotina, as dores persistirem, não hesite em consultar um médico. Somente um especialista será capaz de analisar as raízes do seu problema e fornecer mais métodos de tratamento.