Brasil

Valores usados para custear campanhas foram reduzidos de 2014 para 2018, diz Moro

O ministro da Justiça, Sergio Moro, acredita que houve diminuição no uso do caixa 2 para campanhas eleitorais entre de 2014 e 2018, embora tenha reconhecido que esta é uma “zona cinzenta, difícil de dimensionar”. “A percepção geral no mundo político, e na imprensa, é de que houve diminuição de recursos financeiros empregados em campanhas, seja no oficial ou no caixa 2”, disse ele nesta sexta-feira, 5, em evento da XP Investimentos. “As campanhas, inclusive, pareceram mais modestas em 2018”, acrescentou.

Moro reconheceu que democracias de massa exigem dinheiro para as campanhas, mas disse que a questão é como esses recursos serão empregados. Uma das críticas de Moro foi a pessoas que doam tanto para um partido quanto para outro. “Não se pode doar tanto para Deus quanto para o diabo”, disse.

Em seguida, o ministro quis deixar claro que usou Deus e o diabo como uma metáfora. “Isso foi uma piada. Vivemos uma era de sensibilidades extremadas”, disse.