Cultura

Valeria Bruni-Tedeschi homenageia teatro francês em Cannes com ‘Les Amandiers’

Valeria Bruni-Tedeschi homenageia teatro francês em Cannes com ‘Les Amandiers’

(Da esquerda para a direita) O ator Baptiste Carrion-Weiss, a atriz Suzanne Lindon, a diretora Valeria Bruni-Tedeschi, os atores Sofiane Bennacer, Vassili Schneider, Micha Lescot e Louis Garrel no tapete vermelho do Festival de Cannes para a estreia de "Les Amendiers", em 22 de maio de 2022 - AFP


A atriz e diretora franco-italiana Valeria Bruni-Tedeschi homenageou neste domingo (22) o teatro francês e o diretor e autor Patrice Chéreau, que estabeleceu um marco a partir dos anos 1980 em sua escola “Les Amandiers”.

O filme de Bruni-Tedeschi, uma das cinco mulheres que competem este ano pela Palma de Ouro, também é uma homenagem à geração de artistas dos anos 1980, jovens cheios de sonhos sob a dupla espada de Dâmocles das drogas e da aids.

Neste filme nostálgico e parisiense, Bruni Tedeschi recorreu a atores muito jovens, como Nadia Tereszkiewicz, Sofiane Bennacer, Vassili Schneider e Oscar Lesage, além de Louis Garrel no papel de Patrice Chéreau.

As aventuras e desventuras de doze alunos da escola, que precisam montar uma peça de teatro sob as ordens de Chéreau, lembram o filme “Fama”, de Alan Parker (1980), sobre uma escola de arte dramática de Nova York, mas sem números musicais.

De fato, parte de “Les Amandiers” se passa no famoso Actors Studio de Nova York, onde começa o romance turbulento entre Alice e Victor, dois dos alunos.

“Les Amandiers” é uma lenda do teatro francês porque por ali passaram a própria Bruni-Tedeschi, Agnès Jaoui e Vincent Perez, entre outras estrelas.

“Foi uma experiência única, houve uma geração Amandiers”, explicou à AFP o ator Marc Citti, que fez parte da última promoção da escola, a de 1986-1987.

Milhares de jovens iam à escola e teatro nos arredores de Paris seduzidos pelo prestígio de Chéreau, um diretor sem método pré-concebido, e autor, por outro lado, de filmes como “A rainha Margot”.

Em 1987, Chéreau apresentou em Cannes “Hôtel de France”, uma adaptação filmada de “Platonov”, de Anton Tchekov, a peça de teatro na qual se baseia o filme de Bruni-Tedeschi, com a própria atriz no elenco.