Brasil

Vacinação no restante do Brasil começa ainda hoje

Vacinação no restante do Brasil começa ainda hoje

A 1° vacinada no Brasil - AFP

SÃO PAULO, 18 JAN (ANSA) – Com direito a aglomeração, uma cerimônia com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e governadores marcou nesta segunda-feira (18) o início da distribuição da vacina Coronavac para todos os estados brasileiros.

O imunizante do laboratório chinês Sinovac foi trazido ao país graças a uma parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, e recebeu aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) neste domingo (17).

A cerimônia ocorreu em um galpão em Guarulhos, na região metropolitana da capital paulista, após Pazuello ter dito que não faria um “ato simbólico” ou uma “jogada de marketing”.

Cerca de 10 minutos depois da aprovação da Coronavac pela Anvisa, o governo de São Paulo deu a largada na vacinação no Hospital das Clínicas da capital paulista, começando com a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos.

Mais de 100 pessoas foram vacinadas no domingo, e a gestão de João Doria inicia nesta segunda-feira a distribuição de doses, seringas e agulhas por seis hospitais-escola da capital e de Ribeirão Preto, Campinas, Botucatu, Marília e São José do Rio Preto.


+ Rapper implanta diamante de R$ 128 milhões no rosto
+ PR: Jovem desaparecida é encontrada morta; namorado confessa crime
+ Galo bota ovos e surpreende moradores de Santa Catarina

No domingo, Pazuello havia dito que o programa nacional de imunização contra a Covid-19 começaria na quarta-feira (20), mas agora ele afirmou que os estados podem iniciar a vacinação ainda hoje.

“Acho que a gente pode começar [a vacinação] hoje ao final do expediente”, disse o ministro. Durante a cerimônia, a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), cobrou autorização para usar todo o lote imediatamente, mas Pazuello rechaçou.

“Não podemos fazer isso, essa vacina precisa ser trabalhada dessa forma”, declarou o ministro, justificando que o tempo entre as duas doses da Coronavac é curto (de 14 a 28 dias), o que obriga os governadores a reservarem parte do lote para a segunda aplicação.

O Butantan disponibilizou 4,6 milhões de doses para o Ministério da Saúde, enquanto outras quase 1,4 milhão ficam em São Paulo. O instituto ainda apresentará outro pedido à Anvisa para autorização de uso emergencial de 4,8 milhões de doses envasadas em São Paulo a partir do princípio ativo enviado pela Sinovac.

Essas unidades já estão prontas, mas a agência pediu para o Butantan fazer uma solicitação separada em relação às doses envasadas e entregues pela empresa chinesa. A expectativa do instituto é de uma decisão ainda nesta semana. (ANSA).

Veja também

+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Aprenda 5 molhos fáceis para aproveitar o macarrão estocado
+ Aprenda a preparar o delicioso espaguete a carbonara
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ Cientistas desvendam mistério das crateras gigantes da Sibéria
+ Sexo: saiba qual é a melhor posição de acordo com o seu signo
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Veja os lugares inusitados onde famosos já fizeram sexo
+ Como saber se um pisciano está apaixonado por você? Descubra como Peixes reage ao amor!
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago