Esportes

Único destaque argentino na estreia, Messi crê em reação: ‘Grupo está preparado’

Messi foi o único que se salvou da péssima estreia da seleção argentina na Copa América. Na derrota por 2 a 0 para a Colômbia, na noite de sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador, o craque do Barcelona sofreu com a marcação adversária, muitas vezes desleal, e mesmo assim se destacou.

O problema é que ao lado dele ninguém ajudou. Di María passou os 45 minutos iniciais sumido e foi substituído na volta do intervalo. Agüero, o centroavante da equipe, também foi mal, deu um toque de calcanhar para Messi e mais nada.

“Acho que o grupo está preparado para esse desafio e tem capacidade para seguir adiante”, disse Messi. Matias Suárez concordou com o camisa 10. “Temos de confiar no nosso grupo. Sabemos a qualidade que o elenco tem. É preciso levantar a cabeça. Sempre há muito para melhorar. Confiamos no técnico e no elenco”, disse.

O técnico Lionel Scaloni se preocupou demais com a marcação no meio-campo na estreia e deixou o time sem criatividade. Isolado, Messi pouco fez no primeiro tempo. No segundo, levantou a torcida com uma caneta no adversário, invadiu a área, mas teve a bola roubada. Pouco depois, aproveitou um rebote do goleiro adversário, mas cabeceou para fora.

No momento em que Messi parecia mais incomodar o adversário, os colombianos chegaram ao primeiro gol. James Rodríguez virou o jogo para o lado esquerdo. Roger Martínez dominou, passou pelo marcador e acertou belo chute no ângulo. “Foi um golaço no momento em que estávamos melhor. Criamos boas chances, mas a vitória não veio”, lamentou Messi

O camisa 10 sentiu o gol e murchou em campo. Quando tentava a jogada individual era perseguido pelos adversários. Cuadrado e Zapata deram entradas desleais no jogador e o cartão amarelo para ambos ficou barato. Scaloni também não conseguiu mudar o panorama com as substituições. A Colômbia se fechou no campo de defesa e ampliou o marcador aos 40 em um contra-ataque. Em nova jogada pelo lado esquerdo, Tesillo cruzou e Zapata escorou para as redes. “É difícil perder. Vamos levar um tempo para aceitar essa derrota, assimilá-la. Mas quando chegarmos em Belo Horizonte já temos de pensar na próxima partida”, comentou Messi.

Na Arena Fonte Nova, a torcida argentina era minoria. Os colombianos contaram com o apoio dos brasileiros e vaiavam a equipe de Messi, quando tentava trocar passes. Com o 2 a 0 no marcador, o estádio passou a gritar “olé”. Os colombianos não venciam a Argentina há 12 anos. E na Copa América fazia muito tempo que a seleção de Messi não saía de campo derrotada. O último revés foi em 2007, quando foi superada na final por 3 a 0 para a seleção brasileira.

Nas três edições seguintes do torneio continental o time argentino caiu nos pênaltis – nas quartas de final, em 2011, deu adeus após empatar em 1 a 1 com o Uruguai. Em 2015 e em 2016, perdeu na decisão para o Chile após ficar no 0 a 0 nos dois jogos no tempo normal. Neste período foram 16 jogos de invencibilidade.

A Argentina viaja neste domingo para Belo Horizonte, onde enfrentará o Paraguai, na quarta-feira, no estádio do Mineirão, pela segunda rodada do Grupo B.