Um sistema à deriva

Dia desses bati os olhos em um texto da revista New York cujo título me fez arrepiar os pelos da nuca: “Democracies and when they are too democratic”, de Andrew Sullivan. Fundamentalmente, o autor sentencia que a democracia plena é um perigo em si mesma. Argumenta ele que, quando todos podem dizer o que pensam e pleitear o que desejam, a sociedade mergulha em um estado de paralisia ideal para o surgimento de tiranos e demagogos dispostos a contornar o sistema.

A Venezuela chavista talvez seja o exemplo contemporâneo mais gritante. Tanto na América Latina quanto ao redor do globo, porém, não faltam casos de abusos por parte do Executivo em nome de um suposto bem maior. Nesse sentido, até mesmo nos EUA, de Guantanamo para cá, e agora com Donald Trump tentando forçar leis anti-imigratórias, é possível observar situações preocupantes.

Deveríamos nos forçar a fazer a pergunta que realmente interessa: se a insatisfação com nossos representantes não vem de agora, por qual motivo ainda apostamos em um modelo de governo fadado ao fracasso?

É óbvio que discutir alternativas à democracia não vem ao caso. Seja por meio de ditaduras comunistas ou militares, passando por aventuras socialistas – quando assim ocorreu o homem apenas encontrou morte, miséria e autoritarismo. Nada disso, entretanto, impede o seu aprimoramento.

Por aqui, tal debate, inevitável e de todo modo já atrasado, poderia muito bem começar pelo questionamento desse presidencialismo de coalizão que apenas serve para institucionalizar negociatas em troca de apoio parlamentar. Ou então, quem sabe, enfrentando de uma vez a imposição do voto obrigatório em um País com milhões de analfabetos, cuja elite pensante permanece indiferente a sua responsabilidade de liderar o País.

Olhando por cima, tanto a repulsa à Lula, quanto o desgosto por Temer, assim como as fobias provocadas pelos tucanos e o radicalismo sugerido por psolistas, podem nos levar à enganosa sensação de que jamais houve uma crise político-institucional tão grave.

Quando, no fundo, deveríamos nos forçar a fazer a pergunta que realmente interessa: se a insatisfação com nossos representantes não vem de agora, por qual motivo ainda apostamos em um modelo de governo fadado ao fracasso?

É aquela velha história, o sujeito pode até demorar a encarar suas próprias mazelas, mas é prudente não imaginar que elas se resolverão sozinhas.

 

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Raro fenômeno da lua azul ocorrerá durante o Halloween 2020, saiba o significado

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Mulher sobe de salto alto montanha de 4 mil metros

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago



Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.