Brasil

Um ecoturista enrolado

Escolhido pelo governo Bolsonaro para ser o embaixador do Turismo, Richard Rasmussen já foi multado em R$ 263 mil por maus-tratos a animais

Crédito: Divulgação

CUIDADO COM A COBRA Rasmussen é um apresentador com 20 anos de atuação que se especializou em participar de programas exibindo a vida selvagem no Brasil (Crédito: Divulgação)

O ministério do Turismo é um poço de polêmicas. A começar pelo ministro, Álvaro Antônio, cidadão que vez por outra precisa dar explicações à Polícia Federal (PF) por conta da fraude das candidaturas femininas do PSL. Em julho, o ministério lançou uma campanha de atração de turistas estrangeiros chamada “Brazil. Visit and love us”, em tradução livre “Brasil. Visite e nos ame”. O problema é que, pelo contexto inglês, a frase pode trazer outra semântica, de caráter sexual. Agora, os gênios do Ministério do Turismo tiveram mais uma ideia fora da casa para alavancar a atividade no Brasil. Eles elegeram o biólogo e apresentador de televisão Richard Rasmussen para incentivar o ecoturismo no País, algo relativamente novo em termos de atividade econômica. A ideia seria interessante se o embaixador não fosse também conhecido por cometer várias infrações ambientais. Somente pelo Ibama, Richard Rasmussen foi multado por infrações ligadas à fauna. As multas foram aplicadas entre os anos de 2002 e 2009 e chegam ao valor de R$ 263,1 mil. Os processos ainda estão em fase de recurso na Justiça. A maior sanção, porém, data de 2004, no valor de R$ 144 mil. Na época, ele foi acusado de ter dado destinação a espécime silvestre sem autorização do órgão responsável.

PREFERIDO Bolsonaro se encantou por Richard Rasmussen, mas passado depõe contra ele (Crédito:Carolina Antunes/PR)

As autuações ocorreram na cidade de Carapicuíba, onde ele mantinha um criadouro de espécimes exóticas, chamado Criadouro Conservacionista Toca da Tartaruga, mas sem comprovação de origem dos animais. Na época, o Ibama suspeitava de que o Rasmussen exercia tráfico de animais. Mas isso nunca ficou comprovado. Outra irregularidade encontrada pelos fiscais no criadouro eram cães circulando em recintos destinados a aves e saguis, além de vários animais mortos na sala de atendimento veterinário.

Por conta dessas acusações, Rasmussen respondeu a uma Ação Civil Pública impetrada pelo Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo. “Há vasta documentação apta a demonstrar que o réu incorreu em diversas irregularidades, causando danos à fauna”, disse, em parecer, a então procuradora regional da República, Marcela Moraes Peixoto. Segundo as investigações do MPF, no criadouro, Rasmussen reconheceu as irregularidades, como a obtenção de 223 animais sem origem conhecida, a evasão de 96 aves, pelo excesso de chuvas e a manutenção de 485 espécimes (ou seja, 95% do plantel) sem marcação de órgãos como o Ibama.

Reality

Para quem não conhece, Rasmussen é um apresentador com 20 anos de atuação que se especializou em participar de programas exibindo a vida selvagem no Brasil. Ele já trabalhou para o Domingão do Faustão, da Rede Globo e em reality shows do SBT, Nat Geo, TV Record e Band. De fato, a iniciativa é válida, o problema é que o tiro pode sair pela culatra, quando os turistas perceberem que o embaixador do ecoturismo já foi multado por cometer crimes justamente contra… os animais. Sem dúvida, um lance de “gênio”.

“Em resposta à reportagem veiculada pela Isto É nesta quinta-feira (08/08/2019), às 18h, sob o título “Um ecoturista enrolado”, o Ministério do Turismo esclarece que:

1) Não houve qualquer solicitação formal por parte das autoridades – Polícia Federal e Ministério Público – para que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, prestasse depoimento sobre as supostas denúncias que seguem sendo investigadas. Desde o início, o ministro se colocou inteiramente à disposição da Justiça para prestar todas as informações necessárias em relação às investigações da Polícia Federal e já entregou ao Ministério Público de Minas Gerais as provas das verdadeiras motivações das supostas denúncias. Em diversas declarações, o ministro reiterou que segue no aguardo da conclusão das investigações confiante de que a verdade prevalecerá e acredita no trabalho isento, sério e justo das autoridades.

2) A campanha mencionada pela reportagem “Brazil. Visit and love us” foi uma ação idealizada pela Embratur, autarquia responsável pela promoção, marketing e apoio à comercialização dos destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional. Portanto, é incorreto afirmar que a campanha foi lançada pelo Ministério do Turismo.

3) Na parte “agora, os gênios do Ministério do Turismo tiveram mais uma ideia fora da casa para alavancar a atividade no Brasil”, também é incorreto afirmar que “o biólogo e apresentador de televisão Richard Rasmussen” foi eleito pelo Ministério do Turismo para compor o cargo de embaixador do turismo brasileiro. A atividade configura uma representação do Brasil no exterior e, por isso, é de responsabilidade da Embratur. Conforme já mencionado acima, a partir da criação do Ministério do Turismo em 2003, as atribuições da autarquia foram direcionadas exclusivamente para a promoção internacional.”