Tecnologia & Meio ambiente

Um eclipse parcial da Lua para festejar os 50 anos da Apollo 11

Um eclipse parcial da Lua para festejar os 50 anos da Apollo 11

(Janeiro) Eclipse da lua na Argentina - AFP/Arquivos

Cinquenta anos depois do lançamento da missão Apollo 11, em 16 de julho de 1969, a Lua oferecerá nesta terça-feira um eclipse parcial, que poderá ser visto por grande parte dos terráqueos.

“O eclipse será visível da África, de uma grande parte da Europa e da Ásia, da parte oriental da América do Sul e da parte ocidental da Austrália”, informou a Royal Astronomical Society (RAS) de Londres em um comunicado.

Um eclipse lunar ocorre quando o Sol, a Terra e a Lua estão alinhados. Nosso satélite natural fica então na sombra da Terra.

Na terça-feira, a Lua não ficará totalmente na sombra, o eclipse será apenas parcial. Mas “cerca de 60% da superfície visível da Lua será coberta pela sombra”, diz o RAS.

Privada dos raios do Sol, a Lua escurece e fica numa tonalidade de tijolo porque a atmosfera da Terra desvia os raios vermelhos da luz solar para o cone de sua sombra.

O eclipse parcial terá início às 20h01 GMT (19h01 no horário Brasília), seu ponto máximo será às 21h30 GMT (20:30 de Brasília). O espetáculo terminará às 22h59 GMT (21h59 de Brasília).

O eclipse poderá ser visto a olho nu, sem qualquer perigo, diferentemente dos eclipses solares. Binóculos, óculos e telescópios permitirão o espectador aproveitar ainda mais.