Um dos dias mais obscuros da humanidade

Crédito: Reprodução

Heinrich Himmler (Crédito: Reprodução)

Há dias que devem ser lembrados, há dias que devem ser esquecidos, e há dias que sequer deveriam ter existido, mas, uma vez existentes, deverão ser lembrados para sempre, ainda que merecedores de serem esquecidos. Confuso? Explico.

Em 22 de julho de 1942, exatos 78 anos atrás, sob ordem expressa do chefe da SS nazista Heinrich Himmler, teve início o processo de deportação dos judeus confinados no gueto de Varsóvia, para o campo de extermínio de Treblinka, também na Polônia ocupada, no movimento conhecido como “limpeza total”, onde, em poucas semanas, cerca de 250 mil judeus foram assassinados em câmaras de gás.

Minha avó paterna era uma judia polonesa, que migrou para o Brasil no começo do século XX, antes do início da Segunda Guerra, quando o nazismo ainda era um terror embrionário. Veio logo após a irmã mais velha, já residente no País, ter condições de trazê-la. Ambas nunca mais viram os pais, os irmãos e demais familiares.

O nazismo dizimou mais de 6 milhões de judeus. Mais que isso, deixou cerca de outros 6 milhões órfãos, desamparados e irreparavelmente feridos para toda a vida. E a cada nova geração, um trauma que deveria ficar distante é mantido vivo, como uma ferida em “carne-viva”, que nunca se fecha ou cicatriza.

Pergunto-me, às vezes, o quanto eu e minha geração não fomos diretamente impactados pela história dos nossos avós. O quanto não desenvolvemos de temor, relacionado às perdas, que nos cega a razão e obscurece a compaixão, tornando nossas vidas reféns de um passado e de fatos que jamais existirão outra vez.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

O holocausto não deve ser esquecido nunca. Deverá ser mantido vivo para que a humanidade jamais permita algo minimamente próximo, pouco importa a etnia e as “razões”. Mas talvez seja hora de os judeus, sobretudo os mais jovens, ressignificarem os fatos, tornando essa terrível história menos aterrorizadora, para que se tornem, eles próprios, seres humanos mais leves e melhores. No mínimo, menos ameaçados e ameaçadores.

Am Israel Chai.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.