Esportes

Último recurso do nadador Sun Yang, suspenso até 2024, é rejeitado

O último recurso do nadador chinês Sun Yang, tricampeão olímpico suspenso no ano passado até junho de 2024 por doping, foi rejeitado, anunciou o Tribunal Federal Suíço nesta sexta-feira.

A decisão, emitida pelo Tribunal Arbitral do Esporte (CAS), não é “contrária aos princípios fundamentais da ordem jurídica”, e o direito de Sun Yang de ser ouvido “não foi violado”, confirmou o Supremo Tribunal Suíço em uma sentença de 14 de fevereiro.


Esta decisão põe fim à novela judicial que começou em setembro de 2018, quando o nadador, durante um exame em sua casa, destruiu uma amostra de sangue com um martelo, argumentando que os controladores não haviam apresentado “os documentos que comprovavam sua identidade”.

Já tendo testado positivo em 2014 para um estimulante proibido, a trimetazidina, Sun Yang foi suspenso por oito anos pelo CAS em fevereiro de 2020, a pena máxima em caso de reincidência.

Mas, para surpresa geral, o Tribunal Federal Suíço anulou esta primeira decisão em dezembro de 2020, sancionando a “parcialidade” do presidente do painel de arbitragem e ex-chefe da diplomacia italiana, Franco Frattini.

Denunciando a crueldade infligida aos animais na China, enquanto o caso Sun Yang estava sob investigação, o magistrado italiano aproveitou e publicou uma série de tuítes “extremamente violentos” e racistas, revelou o Tribunal.

Após uma nova audiência em maio de 2021, a instituição arbitral confirmou a suspensão em junho passado, embora tenha infligido uma duração muito menor: quatro anos, aos quais foram adicionados três meses por violação anterior do regulamento antidoping.

Sun Yang teve assim seu caminho para as Olimpíadas de Tóquio fechado, de modo que o nadador chinês não conseguiu aumentar seu impressionante currículo composto por onze títulos mundiais e três medalhas de ouro olímpicas, em Londres-2012 (400 metros e 1500 metros livres) e Rio-2016 (200 metros).

cfe/dep/dam/dr/aam