Tecnologia & Meio ambiente

Uber contribui mais para poluição do que contra ela, diz estudo

Uber contribui mais para poluição do que contra ela, diz estudo

A Uber, pioneira no setor de viagens compartilhadas, em vez de ser parte da solução para o transporte urbano, pode estar adicionando problemas relacionados, especialmente no que diz respeito à poluição causada por carros a diesel, revela um estudo nesta quinta-feira.

A Transport & Environment, que agrupa ONGs na Europa para promover soluções sustentáveis de transporte, disse que a Uber revolucionou o setor de táxis altamente regulamentado, atraindo milhares de novos motoristas de veículos privados.

Mas esse “aumento estelar de motoristas da Uber não foi compensado por uma redução semelhante nas licenças de táxi (…) e o surgimento da Uber não acelerou a redução de viagens de carro em Londres e Paris”.

Em vez disso, a conveniência de reservar viagens de carros por aplicativos as torna “cada vez mais populares, arriscando provocar uma reversão de uma tendência de 15 anos de redução de viagens de carro nas cidades”, disse a Transport & Environment em um resumo das conclusões do estudo.

“A adoção de serviços de carona nas cidades da UE também representa um risco para a luta contra a poluição e as mudanças climáticas”, acrescentou.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

As operações da Uber em Londres, Paris e Bruxelas provavelmente produzem 525.000 toneladas de CO2 por ano, equivalentes às emissões de 250.000 carros, “o que contraria as ambições das cidades de reduzir sua pegada climática”.

Esses veículos são principalmente a diesel, afirmou, observando que “apenas em Londres, onde é obrigatório, a Uber está se esforçando para mudar para veículos mais limpos e movidos a eletricidade”.

Atualmente, a Uber não é lucrativa, mas está avaliada em cerca de US$ 49 bilhões nos mercados, à medida que os investidores adquirem sua visão de um fornecedor de transporte em um novo mundo de veículos elétricos e emissões de gases de efeito estufa reduzidas.

“Se a Uber continuar sua prática comercial atual de adicionar mais carros com motor de combustão e quilômetros impulsionados por combustíveis fósseis em nossas cidades, isso será um obstáculo à transição para cidades verdes e sustentáveis na Europa”, afirmou a organização.

Mas a Uber também pode “fazer a coisa certa”, conforme prometido em sua oferta de ações, e “parar de adicionar carros movidos a combustíveis fósseis às estradas das cidades e eletrificar rapidamente sua frota existente”.

Em resposta, a Uber afirmou estar comprometida em se afastar de carros particulares “em direção a um futuro elétrico compartilhado”.

“Para isso, estamos trabalhando ativamente com cidades da Europa para melhorar o acesso a meios de transporte limpos, seguros e acessíveis”.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Patrick Estrela, de Bob Esponja, vai ganhar série própria

+ Sylvester Stallone coloca seu Cadillac Escalade personalizado à venda; confira!

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?