Turbine seu final de semana com filmes e arte

Crédito: Divulgação

(Crédito: Divulgação)

A arte é um universo sem fronteiras capaz de transformar a forma como vemos o mundo. Quanto mais profundo for o estudo e o entendimento desse campo, mais sensibilidade trazemos para as nossas emoções. Entender a história que está por trás de cada obra faz com que cores, traços, retratos e personagens ganhem novas dimensões para aguçar sentimentos, interpretações, entendimentos e reflexões, em uma jornada sem limites.

Artistas usam a arte como uma maneira de expressar emoções, de tratar os enigmas da vida e de explorar os sentimentos mais profundos. Conseguem enxergar verdadeiramente e ampliar o que as outras pessoas não veem porque exercitam suas emoções rotineiramente, assim como atletas olímpicos cuidam de seus músculos. Não por acaso, muitos deles são considerados loucos – e alguns são de fato (Risos!). Mas pergunto: cite uma pessoa ”normal” que criou algo revolucionário?

Já que estamos em tempos de COVID-19, proponho um final de semana diferente para todos ao recomendar 3 filmes que me lembram quadros de diferentes artistas para uma viagem de experiências que pode acontecer a partir do próprio sofá de sua casa.

+ “Filho é um inferno e atrapalha”, diz Fábio Porchat sobre não querer ser pai

  1. Filme: Titanic. Obra:Femme Nue Couchée (1906) de Pierre-Auguste Renoir
Fotos Wikipedia

Titanic é um clássico. A ideia de começar a gravação por uma das cenas mais quentes do filme partiu do diretor. A parte que Jack (Leonardo DiCaprio) pinta o retrato de Rose (Kate Winslet) nua foi gravada no primeiro dia de filmagens para gerar emoções sinceras e eliminar definitivamente qualquer manifestação de timidez por parte dos atores que, até então, não se conheciam direito.

A cena do sofá é bem semelhante à pintura Femme Nue Couchée”, uma obra prima de Pierre-Auguste Renoir. Ele foi um dos principais pintores do mundo, ao lado de Claude Monet, de Edgar Degas e de muitos outros. O rosto rosado, as curvas, os seios, as cores, a boca vermelha, as pernas dobradas e a almofada que nos levam para dentro do quadro. As obras de Renoir estão sempre em grande destaque nos principais museus do mundo como o MASP e, em posição ainda mais chamativa em locais pequenos como o Museu de Cleveland. Existem dezenas de desenhos e de quadros de Renoir com o mesmo nome e com mulheres nuas no sofá. Só um detalhe – nenhum dos desenhos ou dos quadros têm um colar como o do filme, mas acho que ninguém realmente vai prestar atenção na joia utilizada pela atriz ao ver Titanic. Vou verificar depois a opinião dos leitores nos comentários desta coluna.

Concordo com Renoir, que classificava o nu como a mais indispensável forma de arte. Dizia que era ”impossível imaginar algo mais lindo”. Suas obras desse estilo trazem a graça da silhueta, contornos e cores em uma harmonia encantadora. Para quem desejar mais detalhes é possível ver dezenas de quadros de Renoir com mulheres nuas.

+ Polícia aborda ambulância com sirene ligada e descobre 1,5 tonelada de maconha

 

  1. Filme: As Confissões de Schmidt. Obra: La Mort de Marat (1793) de Jacques-Louis David

O filme As Confissões de Schmidt é uma comédia dramática. Foi escrito e dirigido por Alexander Payne e produzido por Michael Besman, Harry Gittes e Rachael Horovitz. Note a semelhança da cena de Jack Nicholson na banheira com o quadro ”La Mort de Marat”.

Vi esse quadro exposto em um museu de Bruxelas, e rotineiramente recebo memes pela Internet que fazem associações com essa obra. Trata-se de uma pintura clássica criada para representar Jean-Paul Marat, um chefe político assassinado durante a Revolução Francesa. Era amigo pessoal de Jacques-Loius David e tinha uma dolorosa doença de pele que o obrigava a permanecer dentro de uma banheira durante muitas horas. Note que o fundo da tela é marrom propositalmente para não chamar a atenção para mais nada além do homem, da banheira e de seus diversos objetos: a carta, o bico de pena, as dobras do lençol, a faca, a ferida e o sangue.

 

  1. Filme: Forrest Gump– O Contador de Histórias. Obra: Christina’s World (1948) de Andrew Wyeth

Forrest Gump é um filme engraçadíssimo, que retrata várias décadas na vida do personagem central, interpretado por Tom Hankz. Mostra a jornada de um homem simples do Alabama, suas andanças pelos Estados Unidos e o encontro com diversas personalidades. Forrest Gump influencia a cultura popular americana e é testemunha de alguns dos eventos mais importantes do final do século XX. Revendo a riqueza de detalhes históricos, realmente podemos dizer que o diretor lembrou praticamente de todos os momentos históricos. Uma refilmagem certamente incluiria o coronavírus. A propósito: Tom Hanks foi um dos primeiros atores de Hollywood a se testarem positivo para COVID-19.

Tem uma cena no filme que parece ser inspirada no quadro Christina’s World” (1948), de Andrew Wyeth, que foi um importante pintor realista americano. O quadro ”O Mundo de Christina” mostra uma moça sentada em um campo de trigo e vendo uma casa de madeira ao fundo. A princípio, parece uma cena rotineira nas fazendas do interior dos Estados Unidos. Mas, em poucos minutos, essa percepção muda. Esse quadro está no Moma – Museu de Arte Moderna de Nova York e é um dos mais impressionantes que já vi. Não mostra o rosto da jovem, mas transmite uma sensação profunda de desespero. Note a posição dos braços de Christina, a pressão deles sobre o chão e a tentativa de movimento do corpo. Trata-se da imagem de uma moça aleijada que tenta desesperadamente se mover e chegar a algum lugar. A casa e o celeiro são pequenos para dar dimensão da dificuldade de locomoção. Comprei um poster desse quadro para me lembrar de agradecer todos os dias pela minha saúde e pelo o que tenho na vida.

Uma última dica super importante:

Se não tiver paciência ou interesse para ver os filmes, seria bacana pelo menos viajar pelas pinceladas dos quadros. Que a arte desperte sua curiosidade e ajude a ressignificar a sua vida e a de que você ama, todos os dias!

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela
+ Novo Código de Trânsito é aprovado; veja o que mudou
+Jovem é atropelado 2 vezes ao tentar separar briga de casal em Londrina; veja o vídeo
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês
+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Educar é mais importante do que colecionar
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea


Sobre o autor

Keka Consiglio é artista plástica, jornalista e empresária do setor de comunicação. Apaixonada por arte desde criança quando começou a estudar o tema, entregou-se de vez a esse universo ao fazer cursos e visitar museus e exposições, tanto no Brasil como no exterior. Desenvolve uma arte livre, criativa, repleta de cores e de elementos baseados em temas cotidianos, tendo a sustentabilidade presente em todo o seu processo de criação. Curiosa e motivada por desafios, vive e trabalha em São Paulo, produzindo suas coleções a partir de dois estúdios. Instagram: @keka_consiglio_artista. Site: www.kekaconsiglio.com.br


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.