Saúde da mulher

Tudo o que você precisa saber sobre o HPV 

Crédito: Freepik

Mesmo sem saber exatamente do que se trata, você já deve ter ouvido falar na sigla HPV (papilomavírus humano). Além disso, você já pode ter sido exposta ao vírus — e sequer sabe disso.


+ 5 sinais de saúde íntima que não devem ser ignorados

+ Sexo lésbico: como se prevenir de ISTs

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS UK), HPV é o nome para um grupo de vírus que “pode afetar sua pele e as membranas úmidas que revestem seu corpo”. Normalmente, trata-se de colo do útero, boca, garganta e ânus. Embora existam mais de 100 formas de HPV, as 40 versões que entram em ação na região genital são as mais conhecidas. Saiba mais com informações da “Women’s Health”.

Transmissão

O HPV é comum e altamente contagioso, e o vírus é transmitido através do contato sexual. Dentre as possíveis consequências da infecção estão o câncer cervical (no colo do útero), as verrugas genitais e os cânceres peniano e anal em homens. 

O HPV é mais comum do que se imagina

A ginecologista Anita Mitra revela que, aos 50 anos, pelo menos 90% das mulheres terão sido infectadas com um HPV de alto risco, mas menos de 1% terão câncer cervical. Isso porque o sistema imunológico elimina a infecção na maioria das mulheres.  

Anita observa que, mesmo que seu exame não tenha nenhuma mancha ou resultado fora do normal, é possível que você já tenha sido infectada.

Adultos podem se vacinar contra o HPV?

Geralmente, a vacina contra o vírus é aplicada em pré-adolescentes entre 12 e 13 anos, pois o ideal é que a imunização ocorra antes do início da vida sexual. Segundo a especialista, a proteção é mais eficiente neste estágio. 

“Mesmo se você já teve um resultado anormal em seus exames, pode valer a pena tomar a vacina, porque ela pode te proteger no futuro. Mas ela provavelmente não vai protegê-la tanto quanto teria feito quando você era criança”, aponta.

Verrugas causadas pelo HPV

As verrugas genitais são de fato causadas pelo HPV — por uma versão do vírus de menor risco do que o tipo que pode causar câncer cervical.

Em seu livro “Gynae Geek” (sem tradução para o português), Anita observa que “as verrugas do HPV são rosadas e carnudas, e podem coçar, mas não costumam causar muitos problemas e você pode sentir alguns pequenos caroços”. Após o contágio, pode levar até 18 meses para que elas apareçam — o que pode ser um empecilho para descobrir quem te contaminou.

As verrugas tendem a desocupar a vulva por conta própria depois de alguns anos, mas é possível congelá-las ou tratá-las com medicação tópica. A única maneira de ter certeza de que você não receberá essa visita desagradável é utilizando camisinha

HPV e câncer

Se as células do HPV não forem eliminadas pelo sistema imunológico, alterações celulares anormais podem começar a se manifestar. As mudanças nas células tendem a levar cerca de 10 a 15 anos para se transformar em câncer.

Tratamento

Não existe tratamento específico para a infecção, e o lado positivo é que o corpo é capaz de eliminar o vírus sozinho. Desenvolver verrugas (genitais ou não) em consequência da doença é comum, e elas podem ser removidas sob orientação médica. 

O câncer cervical em decorrência do HPV geralmente é removido cirurgicamente, mas a radioterapia é uma alternativa. Se a doença for detectada precocemente, as chances de cura são altas.