Gente

Tudo agora

Tudo agora

Peça de teatro, novela, série, livro e canal de YouTube, tudo acontece quase simultaneamente na vida de Leona Cavalli, mas é a colheita de plantações que começaram ano passado. Ela conta: “Tenho um programa no meu canal do YouTube e atuo na novela “Apocalipse”, da TV Record. Dia 5 de janeiro, estreio “Gatão de Meia Idade”, no Teatro dos Quatro, no Rio. Na sequência, entra ao ar a série “Natália”, da Universal Channel e lançarei o livro infantil “Bela Belinha”, Uma Palhacinha.” No teatro, ela encarna as oito namoradas do Gatão, personagem de Oscar Magrini: “É uma loucura porque cada uma tem personalidade completamente diferente da outra, e eu sou todas!”

Maior golpe do mundo

Quem já ouviu garante que é uma emoção única: Ney Matogrosso canta a cappella “Coração de Luto”, sucesso de Teixerinha (1927-1985) sobre a morte de uma mãe em incêndio. A versão é especial para a peça “O Homem Que Queria Ser livro”, que estreia em 5 de janeiro no teatro Livraria da Vila, em São Paulo. O idealizador, Darson Ribeiro, garante: “ Até hoje, nem Michael Jackson vendeu mais que Teixeirinha nessa canção”. Ney comenta para GENTE: “É um desafio enorme cantar um clássico, um recorde de vendas que até hoje não foi batido. E é claro que não pretendo o alcance de Teixeirinha, mas é muito interessante o inusitado do convite do Darson em interpretá-la. Ainda mais para uma peça de teatro.”

GATA 5.4

Aos 54 anos, a atriz Luiza Tomé é altamente competitiva em beleza e boa forma — até mesmo com as novas gerações. Para quem quiser conferir, ela está em uma novela e vai estrear uma peça.

O que faz para manter este corpão?

Muathay, pilates, musculação e bike. Quando estou no Rio, corro na praia e faço um treinamento militar intenso, que é só para os fortes! Praticar atividade física é sempre um prazer para mim.

E o trabalho?

Gravando a novela Apocalipse, da TV Record e ensaiando a peça Além Do Que os Nossos Olhos Registram, que entra em cartaz dia 19 de janeiro, no teatro J. Safra, em São Paulo. A direção é do Fernando Philbert.

Trapalhadas

Em sua autobiografia Do Ceará Para o Coração do Brasil (Sextante), Renato Aragão, 82 anos, conta sobre o maior e o menor show feito pelos Trapalhões, a trupe integrada por ele, Mussum, Zacarias e Dedé entre as décadas 1960 e 1990. Conhecido como Didi, ele lembra que o primeiro foi em Esteio, no Rio Grande do Sul, para 200 mil pessoas. Mas os fãs quebraram, sem querer, o palanque e eles tiveram que se apresentar no chão. Ao final de cada piada, os guardas suspendiam um humorista: “O Zacarias era erguido apenas para dar sua risada característica.” O menor foi uma pegadinha, em Minas Gerais: quando chegaram ao local, o evento era uma festa do pijama de uma criança de 10 anos cujo pai era muito rico. Cumpriram o contrato, claro.

Política e montanha

Denise Frossard recebeu convite do PPS para ser candidata ao Senado ou ao governo do Rio. “Me senti muito honrada, porém isso não está em meus planos. Me propus, agora, a dar parte do meu tempo para somar  forças que queiram trabalhar na política.” A casa da juíza aposentada, na zona sul carioca, tem sido ponto de conversas sobre o Rio, o Brasil e as eleições de 2018. Antes, ela irá escalar o monte Elbrus, entre a Rússia e a Geórgia. “Sou feliz como montanhista de alta altitude.”

Safadão da fé

Recentemente batizado na Igreja Batista, Wesley Safadão contou à GENTE que não consegue frequentar os cultos como gostaria por causa da rotina atribulada, mas garante que Deus está no comando de sua vida e do sucesso. “Minha agenda me impossibilita de ter regularidade em qualquer coisa.” Ele fecha 2017 como o quinto artista mais ouvido no Spotify Brasil e vai comemorar no show “Garota Vip”, no sábado 16, em São Paulo. São cerca de 10 horas comandando a festa cuja audiência ultrapassa dois milhões.

Musa trans

Enquanto você está pensando em Papai Noel e Réveillon, o Rio de Janeiro já está no carnaval. Uma das novidades que mais causa na terra do baticumbum, atualmente, é o Salgueiro ter anunciado, domingo, que pela primeira vez na folia carioca a musa de uma escola de samba será uma transexual. Ela é a carioca Kamilla Carvalho, 30 anos, que desfilará com mais sete garotas. A nova musa disse que foi muito bem recebida na quadra, com “zero preconceito”.

Fotos: Karime Xavier/Folhapress; Divulgação; Reprodução instagram; Lena Horn; Eunice Almeida; Juliana Cerdeira/Photo Premium/Agência O Globo; Alex Nunes/Divulgação; Margarida Neide/Ag. A Tarde/Futura Press

Tópicos

Leona Cavalli