Geral

Tucano João Doria ganha em 1º turno a disputa pela prefeitura de São Paulo

Pela primeira vez desde as eleições de 1988 a cidade de São Paulo não terá segundo turno na disputa pela prefeitura. O candidato João Doria (PSDB) venceu já no primeiro turno, com 53,29% dos votos válidos. Fernando Haddad (PT) ficou em segundo com 16,70%, Celso Russomanno (PRB) obteve 13,64% dos votos, Marta Suplicy (PMDB) com 10,14 % e ficou com Luiza Erundina (PSOL) com 3,18%.

Assim que a votação foi encerrada, às 17h, a pesquisa de boca de urna do Ibope, feita com seis mil eleitores, já apontava Doria disparado em primeiro lugar, com 48% dos votos válidos, seguido de Haddad com 20%. Quando 38% das urnas estavam apuradas, o Datafolha divulgou projeção de vitória de Doria já no primeiro turno.

Leia também:

Doria minimiza racha no PSDB e defende Alckmin como candidato à Presidência

Alckmin: “Estamos com um fenômeno eleitoral”

No sábado (1º), véspera da votação, as pesquisas do Ibope e do Datafolha também mostravam Doria disparado na liderança, com 35% e 44% respectivamente. Nenhuma, porém, sinalizou vitória do tucano no primeiro turno e ambas mostraram indefinição quanto ao segundo lugar, que estava entre os candidatos Fernando Haddad (PT), Celso Russomanno (PRB) e Marta Suplicy (PMDB).

Por volta das 20h30, Doria deu entrevista a redes de tevê em frente a sua casa e já falou como prefeito eleito. “Vou governar pra todos. Vamos ter, a partir de agora, um programa de transição. São 45 anos trabalhando, comecei do zero, assim como comecei essa campanha com 3% [das intenções de voto].”

Questionado sobre o que os paulistanos podem esperar de Doria como prefeito, o tucano afirmou: “trabalhador honesto, dedicado, moderno – governando com muita juventude. Vamos reconduzir São Paulo ao lugar que a cidade merece. São Paulo é de todos, não só dos paulistanos.”

A candidata Marta Suplicy (PMDB) foi a primeira oponente a parabenizar o prefeito eleito João Doria (PSDB) por volta das 20h, por telefone. A senadora acompanhou a apuração em sua casa, nos Jardins, ao lado de familiares e de seu vice, Andrea Matarazzo (PSD). A candidata divulgou a seguinte nota:
“Foi uma possibilidade de reencontrar as pessoas e discutir seus problemas e as melhores propostas para a cidade e, sobretudo, estar muito próxima do povo mais carente que sempre esteve ao meu lado e me apoiou. Foi importante mostrar e consolidar o legado da minha gestão, que implantou CEUs, Bilhete Único, corredores de ônibus, programas sociais e de habitação. E também para reiterar minha disposição de fazer muito mais por São Paulo, minha cidade. Propusemos mudanças e o que temos agora é uma renovada compreensão sobre o que o povo pobre mais precisa, sobretudo aqueles que vivem nos rincões da periferia. Esta campanha me possibilitou reiterar meu comprometimento com toda a sociedade, em especial com os trabalhadores. Quero enfatizar, como senadora, que tenho o compromisso de continuar representando a cidade e o estado de São Paulo com muito vigor e energia. Sempre vou desejar e trabalhar por São Paulo para que a gente viva numa cidade mais humana e justa! Sempre grata! Valeu, São Paulo! Marta Suplicy, senadora”

De acordo com Doria, Haddad e Russomanno também ligaram para cumprimentá-lo.