Por Walmor Parente, subeditor da Coluna

Antes de assumir oficialmente o comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a ministra Cármen Lúcia pavimenta as regras que vão sustentar sua gestão pelos próximos dois anos. A prioridade da ministra para este ano é o enfrentamento da desinformação e do uso indevido de inteligência artificial (IA) nas Eleições Municipais de 2024.

Ela relatou 12 resoluções, chanceladas pela Corte Eleitoral, que norteiam e disciplinam as regras que serão adotadas no pleito de outubro. A ministra reforça uma frase que tem se repetido em conversas, entrevistas e palestras sobre a Inteligência Artificial. “Que essa tecnologia não seja usada para desservir à Democracia, aos eleitores e às garantias das liberdades”. Cármen Lúcia vai substituir o ministro Alexandre de Moraes a partir de junho, para o biênio 2024-2026.