Mundo

Trump concede aos venezuelanos nos EUA proteção contra deportação por 18 meses

Trump concede aos venezuelanos nos EUA proteção contra deportação por 18 meses

Cidadãos venezuelanos fazem fila em Doral, na Flórida, durante protesto contra o presidente Nicolás Maduro, dezembro de 2020 - AFP

Em uma de suas últimas decisões no cargo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, concedeu nesta terça-feira (19) uma proteção de deportação de 18 meses aos venezuelanos que estão atualmente nos Estados Unidos devido à crise em seu país.

O presidente republicano concedeu o benefício da Saída Forçada Diferida (DED em inglês) aos venezuelanos diante da “deterioração da situação na Venezuela” provocada pelo “governo autocrático” de Nicolás Maduro, segundo um memorando publicado pela Casa Branca.

“Decidi que é do interesse da política externa dos Estados Unidos adiar a expulsão de qualquer cidadão venezuelano ou estrangeiro sem nacionalidade que tenha residido habitualmente na Venezuela”, disse Trump.

O texto diz que terão direito ao DED quem estiver nos Estados Unidos ininterruptamente até 20 de janeiro de 2021, não tiver sido condenado por crime ou anteriormente expulso do país, ou representar risco à segurança pública, entre outras condições.

Trump também mandou autorizar o emprego no país dos venezuelanos enquanto durar o adiamento.


+ Rapper implanta diamante de R$ 128 milhões no rosto
+ PR: Jovem desaparecida é encontrada morta; namorado confessa crime
+ Galo bota ovos e surpreende moradores de Santa Catarina

A medida foi impulsionada pelos aliados republicanos do presidente na Flórida, onde muitos venezuelanos se estabeleceram depois de fugir do colapso econômico e da crise política em seu país natal, governado por mais de duas décadas por um regime socialista.

O Miami Herald disse que a ordem pode beneficiar até 200.000 venezuelanos que vivem sob ameaça de detenção e deportação.

A Venezuela, que já foi uma potência petrolífera, vive um desastre econômico que se agravou desde que Maduro assumiu o poder em 2013, situação que levou à saída de mais de 5,4 milhões de pessoas do país, segundo a ONU.

Veja também

+ Aprenda a preparar o delicioso espaguete a carbonara
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ Cientistas desvendam mistério das crateras gigantes da Sibéria
+ Sexo: saiba qual é a melhor posição de acordo com o seu signo
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Lissa Aires, modelo do OnlyFans, perde fãs por causa de foto montada em elefante
+ Tatuadora chama atenção ao mostrar “bolha de tinta” no braço
+ Ex-Paquita faz tatuagem íntima; veja vídeo
+ Cataratas do Niágara congelam e as imagens são incríveis
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Editora estreia com o romance La Cucina, uma aventura gastronômia e erótica

v