Mundo

Trump chama ambientalistas de ‘profetas da desgraça’

DAVOS, 21 JAN (ANSA) – Poucas horas depois do discurso de Greta Thunberg em Davos, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou nesta terça-feira (21) ativistas ambientais de “profetas da desgraça”.   

A declaração foi dada durante sua participação no Fórum Econômico Mundial, que acontece na cidade suíça até 24 de janeiro. Em seu pronunciamento na 50ª edição do evento, o magnata defendeu os combustíveis fósseis e a desregulamentação da economia, indo de encontro à mensagem disseminada por Thunberg e ambientalistas mundo afora.   

“Precisamos rejeitar os perenes profetas da desgraça e suas previsões do apocalipse”, disse Trump. Horas antes, a ativista sueca, que estava na plateia, havia acusado os governos de não fazerem “nada” para combater as mudanças climáticas.   

Segundo o presidente, aqueles que denunciam um aquecimento global fora de controle são os “herdeiros dos tolos adivinhos de hoje”. Apesar disso, Trump anunciou a adesão dos EUA a um projeto de plantar 1 trilhão de árvores contra a crise climática.   

O presidente também fez propaganda do petróleo e do gás americanos e reiterou que os Estados Unidos não precisam mais “importar energia de nações hostis”. “Nossos aliados europeus não ficariam mais vulneráveis se usassem o vasto fornecimento da América”, declarou.   

Trump chegou em Davos no mesmo dia em que o Senado inicia o processo de impeachment contra ele por abuso de poder e obstrução do Congresso. O julgamento deve terminar ainda em janeiro, e uma condenação é improvável, já que isso exige o apoio de dois terços dos senadores (67 de 100), e os republicanos contam com maioria (53). (ANSA)