Mundo

Trump alerta militares venezuelanos que ‘perderão tudo’ apoiando Maduro

Trump alerta militares venezuelanos que ‘perderão tudo’ apoiando Maduro

O presidente americano, Donald Trump, discursa para a comunidade venezuelana nos Estados Unidos na Universidade Internacional da Flórida, em Miami, 18 de fevereiro de 2019 - AFP

O presidente americano, Donald Trump, incentivou nesta segunda-feira (18) os militares venezuelanos a aceitarem a anistia oferecida pelo líder opositor Juan Guaidó, caso contrário “perderão tudo”.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Hoje tenho uma mensagem para todos os funcionários [públicos] que estão ajudando a manter (o presidente Nicolás) Maduro no cargo. Os olhos do mundo estão sobre vocês”, disse Trump em um encontro com a comunidade venezuelana em Miami.

“Podem escolher entre aceitar a generosa oferta de anistia do [autoproclamado] presidente Guaidó e viver sua vida em paz com suas famílias e seus compatriotas, ou podem eleger o segundo caminho: continuar apoiando [o presidente Nicolás] Maduro. Se elegerem este caminho, não encontrarão um refúgio, não haverá uma saída fácil. Perderão tudo”.

Umas 300 pessoas presentes aclamaram Trump no evento na Universidade Internacional da Flórida, em Miami, realizado um dia depois da visita do senador Marco Rubio à fronteira da Colômbia com a Venezuela.

Horas antes, ao chegar ao aeroporto de Miami, após visitar as cargas de ajuda humanitária estacionadas na cidade colombiana de Cúcuta, Rubio havia dito a jornalistas que perguntaram sobre a opção militar que “se os Estados Unidos agirem militarmente em qualquer parte do mundo, vocês saberão”.

“Mas aqui a única invasão que se pediu é uma invasão de comida e remédios”, acrescentou, falando em espanhol, assegurando ainda que “a única invasão ocorrida na Venezuela é a invasão cubana”.

Guaidó, reconhecido por 50 países como presidente interino, organiza a entrada da ajuda humanitária para 23 de fevereiro, desafiando o repúdio do chefe de Estado, Nicolás Maduro, que prometeu impedir seu ingresso porque considera a carga uma porta de entrada para a intervenção estrangeira no país.

Segundo a ONU, 2,3 milhões de venezuelanos (7% da população) emigraram desde 2015, fugindo da maior crise econômica da história recente do país petroleiro, com uma hiperinflação estimada para este ano em 10.000.000% pelo FMI.

Veja também

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Após cogitar ficar longe da TV, Edu Guedes estreia na Band e ‘rouba’ horario de Mariana Godoy

+ Uma moto 0km, desde 1977 na caixa, vai a leilão e valor pode chegar a mais de R$ 190mil

+ Kit transforma BMW R nineT em réplica de moto dos anos 1930

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea