Comportamento

Trump abre mão de incluir pergunta sobre cidadania no censo 2020

Trump abre mão de incluir pergunta sobre cidadania no censo 2020

O presidente americano, Donald Trump, fala à imprensa no Jardim Rosado da Casa Branca em 11 de julho de 2019, em Washington - AFP

O presidente americano, Donald Trump, abriu mão nesta quinta-feira (11) de incluir uma polêmica pergunta sobre a cidadania no censo de 2020, após uma longa batalha judicial que incluiu um pronunciamento contra a Suprema Corte.

“Vamos buscar novas opções para assegurar uma contagem completa e oportuna da população sem cidadania”, disse Trump em uma coletiva de imprensa na Casa Branca.

Há duas semanas, a Suprema Corte parecia ter deixado para trás o debate sobre a pergunta da cidadania, ao afirmar que os argumentos para incluir a pergunta eram “forçados”, em uma decisão tomada por cinco a quatro do máximo tribunal, onde os conservadores têm maioria.

Nos Estados Unidos, o censo deve ser realizado a cada dez anos e é fundamental para distribuir 675 bilhões de dólares em subvenções e determinar os assentos na Câmara de Representantes.

A pergunta sobre a cidadania – abandonada há 60 anos – poderia dificultar que 1,6 a 6,5 milhões de imigrantes, a maioria latinos, participassem da pesquisa ou mentissem em suas respostas por medo de serem localizados, especialmente no caso dos ilegais, segundo especialistas do escritório do censo.

“Não estamos desistindo”, disse Trump na coletiva de imprensa, ressaltando que “é essencial que haja uma imagem clara de quantos cidadãos e não cidadãos compõem a população dos Estados Unidos”.