Geral

Troca de tiros deixa cinco mortos em comunidade da zona norte do Rio


Cinco pessoas morreram neste sábado, 6, no Morro dos Macacos, no bairro de Vila Isabel, na zona norte do Rio. Eles foram atingidos em troca de tiros da Polícia Militar (PM) com traficantes. Em depoimento à Globonews, moradores da comunidade afirmaram que dois deles não eram ligados ao tráfico. Nenhum dos policiais se feriu.

A Polícia Militar afirmou em nota que uma equipe do 6º batalhão estava fazendo o patrulhamento no local quando foi surpreendida por criminosos armados, segundo a reportagem. No twitter, a PM informa apenas ter encontrado armas e drogas na comunidade.

Um dos mortos, Valmir Pereira Candido, de 42 anos, casado e pai de dois filhos, trabalhava há dois anos como montador de andaime na Refinaria de Duque de Caxias, na Petrobras, de acordo com a sua irmã. À Globonews, ela mostrou o crachá de Valmir, enquanto protestava na porta do Hospital do Andaraí, na zona norte, para onde foram levados os feridos.

Ela contou que o irmão mandou uma foto pelo celular, na manhã deste sábado, mostrando que estava no dentista. “Meu irmão estava de folga hoje. Meu irmão trabalha na Reduc. E agora? Nenhum dinheiro vai trazer meu irmão de volta”, disse ela.


+ Após cobertura ser arrematada em leilão, Carlinhos Mendigo se recusa deixar propriedade
+ Mulher desaparecida é encontrada dentro de cobra píton
+ Furão é estrela de vídeo que recria cenas do filme Ratatouille



Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS