Esportes

Treinado por ex-número 1, jovem espanhol ganha convite do Rio Open

O Rio Open concedeu o seu segundo convite para a chave principal do torneio à promessa espanhola Carlos Alcaraz. O tenista de apenas 16 anos, o mais jovem do Top 500 do ranking, é treinado pelo ex-número 1 do mundo Juan Carlos Ferrero, rival de Gustavo Kuerten nos anos 2000.

O espanhol ficou com o convite que geralmente é reservado pela organização a um jovem tenista agenciado pela IMG, empresa parceira do torneio brasileiro. O primeiro convidado é o brasileiro Felipe Meligeni, que conquistou a vaga direta na chave principal do Rio Open ao se sagrar campeão do Maria Esther Bueno Cup, torneio disputado por jovens brasileiros há duas semanas.

Alcaraz vem chamando a atenção do mundo do tênis desde que somou seu primeiro ponto no ranking da ATP quando tinha apenas 14 anos e 9 meses. Neste ano, ele obteve seu primeiro título de nível Future. Destacou-se ainda ao faturar o Campeonato Europeu Sub-16 e a Copa Davis Junior.

“O Alcaraz é muito jovem mas vem surpreendendo pela maturidade dentro de quadra. Será uma grande oportunidade de vê-lo em uma grande arena pela primeira vez na carreira”, comentou Luiz Carvalho, diretor do Rio Open, referindo-se ao atual 491º do mundo. Neste ano, este convite a jovem promessa ficou com o canadense Felix Auger-Aliassime, que acabou sendo o vice-campeão do torneio brasileiro.

Agendado para o período de 15 a 23 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro, o Rio Open só vai definir sua lista final de tenistas no dia 8 de janeiro. O torneio de nível ATP 500 já confirmou as presenças do austríaco Dominic Thiem, atual número quatro do mundo, do italiano Matteo Berrettini (8º), do argentino Diego Schwartzman (14º) e do croata Borna Coric (28º).

O terceiro convite, contudo, só será revelado no fim de janeiro. A vaga ficará com um brasileiro, ainda não escolhido. Ao Estado, Luiz Carvalho disse vai esperar para avaliar qual dos tenistas da casa estarão em melhores condições físicas e técnicas para receber o convite.

“Gostamos de ver como estará a performance deles no início da temporada, se estarão em forma, se estarão voltando de lesão. Isso reduz o risco na escolha do melhor tenista. Vamos definir por meritocracia”, afirmou.