Economia

Tostes: cada empresa vai pagar o CBS sobre o que ele agrega; será não cumulativo

O secretário especial da Receita Federal, José Tostes Neto, explicou nesta terça-feira, 21, que Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS) não será cobrada de maneira cumulativa como os tributos atuais.

“Cada empresa vai pagar o CBS sobre o valor que ela agrega, será não cumulativo a exemplos dos melhores modelos de Imposto sobre Valor Agregado (IVA) que existem no mundo”, afirmou.

O secretário enfatizou que haverá total desoneração sobre as exportações no novo tributo, já que não restarão sobras de créditos tributários acumulados nas cadeias de produção. “Haverá aproveitamento integral de todos os créditos”, completou.

A CBS substituirá o PIS/Pasep sobre folha, o PIS/Pasep sobre importações, o PIS/Pasep sobre receitas, a Cofins sobre importação e a Cofins sobre receitas. “Há enorme simplificação pela substituição de cinco contribuições por uma”, acrescentou o secretário.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, levou hoje pessoalmente ao Congresso Nacional a primeira fase da proposta de reforma tributária do governo, com a criação da CBS, com alíquota de 12%.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel