Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

A Polícia Civil concluiu na quarta-feira (4) as investigações sobre o caso de uma adolescente de 15 anos com paralisia cerebral, que engravidou após ser estuprada em Nova Olinda (TO). Conforme o inquérito, o autor do estupro foi um adolescente de 13 anos, primo da vítima. As informações são do G1.

De acordo com a polícia, a gravidez foi interrompida seguindo previsão legal. O caso começou após a mãe da vítima procurar a 33ª Delegacia de Nova Olinda com exames comprovando a gravidez da filha. Segundo a mulher, a filha é totalmente dependente até para as tarefas mais simples, não fala e tem dificuldade de locomoção.

Durante o inquérito, o adolescente de 13 anos foi ouvido, mas negou envolvimento nos fatos. No entanto, exames de DNA comprovaram que ele era o pai do filho que a adolescente esperava. O inquérito foi concluído e encaminhado à Justiça. Segundo o G1, o adolescente deve responder por ato infracional e pode receber medida de internação por até três anos.