Mundo

Capa emblemática da “Time” critica política migratória de Trump

Crédito: JOHN MOORE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Capas emblemáticas fazem parte da história da revista americana “Time” e a edição de 02 de julho de 2018 já é uma das mais impactantes dos últimos tempos. Uma menina hondurenha de dois anos chora enquanto sua mãe é detida na fronteira dos EUA com o México. O fotógrafo John Moore, premiado com o prêmio Pulitzer, é o autor do registro que se tornou o símbolo do debate sobre imigração na América.

Com o título “Bem vindo à América: uma autocrítica após a política de separação de fronteira de Trump – que tipo de país somos?”, a reportagem de capa critica as políticas recentes de Donald Trump, que vêm separando filhos de imigrante ilegais de seus pais.

“Esta foi difícil para mim”, revelou o fotógrafo em entrevista ao TIME Tuesday, descrevendo sua reação ao ver a cena, ocorrida no Texas.  “Assim que acabou, elas foram colocadas em uma van e eu tive de parar e respirar fundo ”, disse. “Tudo o que eu queria fazer era ajudá-las, mas não pude”.

Na última quarta-feira, Trump cedeu às pressões e assinou uma ordem para evitar a separação das famílias que cruzarem a fronteira com o México, mas mantendo a “tolerância zero” em sua política de imigração.

Reprodução / Time