Cultura

Testamento do humorista Chico Anysio é anulado após decisão judicial

Uma decisão judicial tomada em 17 de dezembro de 2019 declarou nulo o testamento de Chico Anysio. O humorista morreu em 2012, aos 80 anos, após ser diagnosticado com uma pneumonia e ter complicações renais.

A informação foi confirmada pelos advogados de Malga Di Paula, viúva do artista. Segundo eles, o motivo para a anulação foi “que o testador dispôs da totalidade de seus bens, o que contrariou disposição do Código Civil”. Segundo a legislação, o testamento tem efeito apenas sobre 50% do patrimônio do testador, ou seja, de quem fez o documento.

A decisão foi tomada pelo juiz Sergio Roberto Emilio Louzada, da 2ª Vara da Família da Barra da Tijuca. Os advogados de Malga chegaram a pedir o esclarecimento de alguns pontos da decisão, como a situação da posse de um imóvel do humorista, sobre o qual Malga busca posse exclusiva. O recurso, entretanto, foi negado.

Questionado sobre a exclusão do filho Luis Guilherme de Souza Paula, conhecido como Lug de Paula, o advogado de Malga, Carlos Sanseverino, disse que Lug “não teria sido referenciado” no testamento, mas que a ausência dele não foi o motivo para a anulação do documento.

Em nota enviada para o jornal O Estado de S. Paula, os advogados informaram que ainda é possível recorrer para o Tribunal do Estado do Rio de Janeiro, e que o prazo para o recurso acabará no final da próxima semana. A defesa de Malga disse que ela ainda não definiu se vai recorrer da decisão.

+ Briga de vizinhos termina com personal trainer morta a facadas no interior de SP

Confira a nota completa:

“Na qualidade de Advogados de Malga Di Paula, informamos que o testamento de Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho (Chico Anysio) foi declarado nulo por sentença proferida pelo Juiz da 2ª Vara da Família da Barra da Tijuca sob o fundamento de que o testador dispôs da totalidade de seus bens, o que contrariou disposição do Código Civil. Apresentamos recurso de Embargos de Declaração para que o Juiz esclarecesse alguns pontos da decisão, principalmente no que se refere ao imóvel do Edifício Golden Royal, sobre o qual nossa Cliente busca o reconhecimento de sua propriedade exclusiva. O recurso foi rejeitado, tendo sido aberto prazo para recorrer para o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, prazo este que expirará no final da próxima semana. Carlos Sanseverino e Denise Giardino.”

Veja também

+ Quarta parcela do auxílio sai hoje (14) para os nascidos em agosto

+ Cunhado de Maradona morre de Covid-19 na Argentina

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?