Economia

Tesouro: média mensal de emissões saltou de R$ 50 bi para R$ 145 bi na pandemia


O secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, disse nessa sexta-feira, 23, que as emissões de títulos saltaram de uma média de R$ 50 bilhões por mês passaram para R$ 145 bilhões nos últimos meses. Ele lembrou o nível de endividamento e a curva de juros brasileira são mais altos que os de outros países emergentes.

“Quando o país tem uma dívida muito grande e cara, ela acaba drenando recursos do setor privado, tira recursos do investimento e prejudica o crescimento econômico. Endereçar a questão do endividamento é reverter esse processo, tirar o Estado da drenagem de recursos do setor privado e abrir espaço para investimentos”, afirmou, em videoconferência promovida pelo Jota.

Bittencourt apontou que o teto de gastos já provocou uma forte redução nas despesas discricionárias nos últimos anos, embora as despesas obrigatórias continuem em alta. O secretário reforçou que apenas os gastos extraordinários para o combate da pandemia de covid-19 seguem fora do teto.

“A consolidação fiscal vale a pena, ela reduz os juros. O nosso objetivo é fortalecer o fiscal, para termos um custo de dívida e um endividamento menor”, repetiu.

Veja também
+Deolane Bezerra, viúva de MC Kevin, revela que fez cirurgia na vagina
+ Aprenda a fazer a deliciosa receita de feijoada da cantora Ivete Sangalo
+ Mulher e filho de Schumacher falam sobre saúde do ex-piloto
+ Carvão “gourmet” que não suja as mãos vira meme nas rede sociais; ouça
+ Mãe encontra filho de 2 anos morto com bilhete ao lado ao chegar em casa
+ Receita fácil e rápida de pavê de amendoim para o fim de semana
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago