Mundo

Terrorista da Nova Zelândia citou neofascista italiano

ROMA, 15 MAR (ANSA) – Brenton Tarrant, um dos autores do atentado que deixou 49 mortos em duas mesquitas da Nova Zelândia nesta sexta-feira (15), escreveu em suas metralhadores palavras com referências a ataques contra a comunidade muçulmana.   

Uma delas exibia o nome de Luca Traini, o militante neofascista italiano que disparou contra seis imigrantes negros em Macerata, em fevereiro do ano passado.   

Traini, 29, foi condenado a 12 anos de prisão e cometeu o atentado para vingar a morte da jovem Pamela Mastropietro, cujo corpo foi encontrado esquartejado em uma cidade vizinha – os principais suspeitos do crime são traficantes nigerianos.   

Todos os imigrantes baleados sobreviveram, e nenhum deles tinha ligações com os suspeitos do assassinato de Mastropietro. O advogado de Traini, Giancarlo Giulianelli, garantiu que seu cliente “condena” a atitude de Tarrant.   

“Não há absolutamente nenhuma conexão. A mãe dos imbecis está sempre grávida em todos os países do mundo”, declarou Giulianelli. Recentemente, Traini pediu desculpas por seu crime e garantiu não ter “nenhum ódio racial”.   

Tarrant, por sua vez, também se inspirou no terrorista norueguês Anders Behring Breivik, que matou 77 pessoas, sobretudo jovens do Partido Trabalhista, em julho de 2011. (ANSA)